Referenciais de Intersubjectividade de José Castiano

Um paradigma libertário do pensamento Africano

Autores

  • Jorge Pedro Macopa Universidade Pedagógica
  • Ernesto Hoguane
  • Ernesto Hoguane

Palavras-chave:

intersubjectividade, liberdade, pensamento, africano

Resumo

Numa época e num mundo em que povo procura se reconhecer como um povo autónomo, livre e independente. A África não se distancia desta realidade, por isso, muitos dos pensadores africanos procuram a todo custo mostrar e incutir a ideia de que a África é continente livre e autónomo. E outros pensadores como é o caso de Castiano – um pensador moçambicano, historiador, filósofo e sociólogo – procuram dar directrizes para que este continente os habitantes do mesmo optem pela intersubjectividade como forma de contribuir para a edificação de uma África livre não só politicamente, mas sim, socialmente, economicamente e intelectualmente. Esta intersubjectividade deve ser vista como processo do reconhecimento do Outro como uma parte integrante do Eu. Por isso, no presente artigo procurar-se-á reflectir em torno das referenciais de intersubjectividade de José Castiano um paradigma libertário do pensamento africano. No entanto, a investigação sob o ponto de vista metodológico serve-se do método hipotético-dedutivo, para tal, a hermenêutica e a comparação são técnicas indispensáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-04-29

Como Citar

MACOPA, J. P.; HOGUANE, E.; HOGUANE, E. Referenciais de Intersubjectividade de José Castiano: Um paradigma libertário do pensamento Africano. Polymatheia - Revista de Filosofia, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 191–207, 2022. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revistapolymatheia/article/view/7771. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos