Breves considerações a respeito do Gênio maligno e de seu lugar de inserção nas Meditações metafísicas

Autores

  • Jonathan Alvarenga Unicamp

Palavras-chave:

Gênio maligno, Meditações metafísicas, Descartes, Dúvida hiperbólica, Negação metódica

Resumo

No presente artigo proponho discutirmos a respeito do artifício do Gênio maligno e sua inserção nas Meditações de Descartes. Para isso, buscarei contextualizá-lo no texto a partir de uma rápida consideração sobre os passos da dúvida que o precedem. Após essa introdução, procuro debater (1) a respeito de seu lugar no pensamento de Descartes, (2) a respeito do escopo que tal argumento atinge e (3) a respeito dos limites que ele encontra no decorrer do texto do filósofo francês. Por fim, chegaremos ao cogito e às considerações a respeito de sua indubitabilidade e diferenças em relação às noções comuns.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

DESCARTES, René. Meditações sobre filosofia primeira. Tradução: Fausto Castilho. Ed. Bilíngüe em latim e português – Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2004. (Coleção Multilíngües de Filosofia Unicamp – Série A – Cartesiana I).

DESCARTES, René. Œuvres. Paris: Vrin, 1996. Vol. 7. Publiées par Charles Adam et Paul Tannery, 1973-8.

FORLIN, Eneias. O papel da dúvida metafísica no processo de constituição do cogito. São Paulo: Humanitas, 2004.

GUEROULT, Martial. Descartes segundo a ordem das razões. São Paulo: Discurso Editorial, 2016.

LANDIM FILHO, Raul. Evidência e verdade no sistema cartesiano. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

LEOPOLDO E SILVA, Franklin. Descartes, a metafísica da modernidade. São Paulo: Moderna, 1994.

POPKIN, Richard Henry. História do ceticismo de Erasmo a Spinoza. Tradução: Danilo Marcondes de Souza Filho. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000.

Downloads

Publicado

2022-01-15

Como Citar

ALVARENGA, J. Breves considerações a respeito do Gênio maligno e de seu lugar de inserção nas Meditações metafísicas. Polymatheia - Revista de Filosofia, [S. l.], v. 14, n. 25, 2022. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revistapolymatheia/article/view/6664. Acesso em: 23 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos