UMA REFLEXÃO SOBRE A BIOPOLÍTICA NO PENSAMENTO DE HANNAH ARENDT

Autores

  • Roberto Freitas dos Santos

Palavras-chave:

Arendt, Biopolítica, Campo de concentração, Esfera pública, Totalitarismo

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo estudar acerca das opiniões de Hannah Arendt sobre os campos de concentração como lugar do aniquilamento do humano, visando refletir sobre a possibilidade de encontrarmos traços de uma biopolítica nos registros da pensadora judia alemã. Neste intuito, trataremos sobre a valorização da vida do homem enquanto ser livre. A exposição estabelecida pela escritora nos favorecerá pensar como que o mundo contemporâneo vem cada dia mais sendo palco de experiências de extermínio, instaurando assim um clima de hierarquização entre umas vidas que valem mais que outras, esvaziando-se da liberdade enquanto valor para exaltação da pessoa humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, Odílio Alves. A recepção biopolítica da obra de Hannah Arendt. Conjectura, Caxias do Sul, RS. v. 17, n. 1, p. 139-158, jan./abr. 2012.

AGUIAR, Odílio Alves. A questão social em Hannah Arendt. Trans/Form/Ação. São Paulo, SP. 27(2), p. 7-20. 2004.

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Trad. de Roberto Raposo e revisão de Adriano Correia. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

ARENDT, Hannah. Origens do Totalitarismo. Trad. Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

FELIZARDO, Jéssica Tatiane; OLIVEIRA, José, Luiz de. As análises de Hannah Arendt acerca dos campos de concentração e suas relações com o “holocausto brasileiro”. Mental – v. 11- n, 21 – Barbacena-MG – Jul-Dez 2017. p. 431-444.

PASSOS, Fábio Abreu. Vida (zoé), mundo e política: uma reflexão sobre os aspectos biopolíticos no pensamento de Hannah Arendt. Philósophos, Goiãnia, v. 23, n. 1, p. 275- 306, janeiro/junho. 2018.

SILVA, Elivanda de Oliveira. A transformação da natureza humana nos governos totalitários e a ascensão do animal laborans na esfera pública: uma leitura biopolítica da obra de Hannah Arendt. Fortaleza: UFC, 2012. 97 p. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.

SILVA, Elivanda de Oliveira. Hannah Arendt e Agamben: o totalitarismo como categoria biopolitica e a politização da vida nas sociedades democráticas liberais. Kalagatos, v. 14, n. 2, p. 281-287, maio/agosto. 2017.

Downloads

Publicado

2021-07-26

Como Citar

FREITAS DOS SANTOS, R. . UMA REFLEXÃO SOBRE A BIOPOLÍTICA NO PENSAMENTO DE HANNAH ARENDT. Polymatheia - Revista de Filosofia, [S. l.], v. 14, n. 24, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revistapolymatheia/article/view/6579. Acesso em: 20 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos