A MÚSICA COMO MERCADORIA:

UMA INTERPRETAÇÃO CRÍTICA

Autores

  • Ivânio Lopes de Azevedo Júnior Lopes de Azevedo Júnior

Palavras-chave:

Estética musical, Teoria Crítica, Materialismo dialético

Resumo

O presente artigo consiste em uma interpretação crítica da experiência com a música. O termo “crítica” é entendido aqui na esteira da tradição materialista-dialética que, desde de Karl Marx, e passando pela Escola de Frankfurt, vem aprofundando a compreensão da arte como fenômeno social cujas determinações econômicas são profundas. A partir de duas teses de Theodor Adorno e de um estudo, com forte viés benjaminiano, do antropólogo José Jorge de Carvalho sobre a sensibilidade musical, a proposta é mostrar em que sentido a música pode ser entendida como mercadoria e quais as implicações deste fato para a percepção auditiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, Theodor. Experiência e criação artística: paralipômenos à “Teoria Estética”. Lisboa: Edições 70, 2003.

ADORNO, Theodor. Filosofia da nova música. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

ADORNO, Theodor. O Fetichismo na música e a regressão da audição. São Paulo: Nova Cultural, 1975.

ADORNO, Theodor. Teoria estética. Coimbra: Edições 70, 2008.

ADORNO, Theodor; HORKEHEIMER, Max. Dialektik der auflärung. In: ADORNO, Theodor. Gesammelte Schriften 3: dialektik der aufklärung. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1981.

ADORNO, Theodor W. Zur gesellschaftlichen Lage der Musik [Sobre a situação social da música]. In: ADORNO, Theodor W. Gesammelte Schriften. Frankfurt am Main: Suhrkamp; Berlin: Directmedia, 2003.

ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 165-196.

BERNSTEIN, J. M. O discurso morto das pedras e estrelas. In: RUSH, Fred (org.). Teoria Crítica. São Paulo: Ideias e Letras, 2008. p. 175-202.

CARVALHO, José Jorge. Transformações da sensibilidade musical contemporânea. Horizontes Antropológicos. Porto Alegre, v. 5, n. 11, p. 53-91, out. 1999. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-71831999000200004. Acesso em: 31 mar. 2021.

DUARTE, Rodrigo. Indústria Cultural. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2010.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Curso de estética: o belo na arte. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Cursos de estética: volume II. São Paulo: EdUSP, 2000.

HORKHEIMER, Max. Teoria tradicional e teoria crítica. São Paulo: Nova Cultural, 1975.

JAY, Martin. A imaginação dialética. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. 18. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. v. 1.

PETRY, Franciele Bete. A relação dialética entre arte e sociedade em Theodor Adorno. Veritas, Porto Alegre, v. 59, n. 2, p. 388-406, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.15448/1984-6746.2014.2.16468. Acesso em: 31 mar. 2021.

SAFATLE, Vladimir. Fetichismo e mimesis na Filosofia da Música adorniana. Discurso, São Paulo, n. 37. São Paulo, 2007, p. 366-405. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2007.62950. Acesso em: 31 mar. 2021.

Downloads

Publicado

2021-07-26

Como Citar

LOPES DE AZEVEDO JÚNIOR, I. L. de A. J. A MÚSICA COMO MERCADORIA: : UMA INTERPRETAÇÃO CRÍTICA. Polymatheia - Revista de Filosofia, [S. l.], v. 14, n. 24, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/revistapolymatheia/article/view/6566. Acesso em: 2 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos