Educação, cultura e estética na primeira infância:

Projeto Amares, em Colônia, Alemanha

  • Helza Ricarte Lanz Doutora em Antropologia pela Universidade de Friburgo, Suíça e Professora na Universidade de Colônia, Alemanha
Palavras-chave: infância, educação, cultura, estética, prática pedagógica

Resumo

Há várias formas de resistência e este artigo apresenta uma delas. Na Alemanha, a educação não está livre de ofensivas da atualidade: a) a mensurabilidade da qualidade de ensino; b) a otimização e a eficácia curricular; c) o desenvolvimento de métodos por competências pedagógicas; d) o uso de mídias digitais na infância; e e) a alfabetização precoce para atender a demandas de mercado. No sentido inverso dessas propostas, os objetivos desse artigo são: a) discutir a importância da educação cultural e estética na primeira infância; e b) mostrar que trilhar caminhos inovadores é uma forma de resistência à subordinação da educação aos ditames econômicos. Assim, este artigo apresenta: a) as bases teóricas sobre educação cultural e estética; b) um exemplo prático, o Projeto Amares, em Colônia, Alemanha, que mostra como é possível realizar a educação cultural e estética na primeira infância; e c) a conclusão aponta a necessidade da criação de estratégias educacionais de resistência às atuais propostas hegemônicas. Ao voltar nossas atenções tanto à memoria social e cultural sedimentada ao longo dos séculos quanto à prática pedagógica responsável, possibilitamos a formação integral do ser humano. Isso constitui uma estratégia de resistência para formar crianças felizes, conscientes e responsáveis para a vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alvares, S. C. (2010): Educação estética para jovens e adultos: a beleza no ensinar e no aprender. São Paulo, SP: Cortez.

Fröbel, F. (1982): Die Menschenerziehung (1826). In E. Hoffmann (Hrsg.), Friedrich Fröbel. Ausgewählte Schriften (Band 2, 4. Aufl., S. 149-178). Stuttgart, Deutschland: Klett-Cotta.

Geertz, C. (1996): Welt in Stücken: Kultur und Politik am Ende des 20. Jahrhunderts. IWM-Vorlesungen zur Modernen Philosophie, 1995. Viena: Passage.

Heiland, H. (1991): Zum Verhältnis von Politik und Pädagogik bei Friedrich Fröbel. Pädagogische Rundschau, 45(4), 433-450.

Rinaldi, C. (2014): Diálogos com Reggio Emilia: escutar, investigar e aprender (2a ed.). São Paulo, SP: Paz e Terra.

Saviani, D. (2010): O paradoxo da educação escolar: análise crítica das expectativas contraditórias depositadas na escola. Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, 5(10), 13-28.

Schäfer, G. E. (2014): Was ist frühkindliche Bildung? Kindlicher Anfängergeist in Kultur des Lernens (2. Aufl.). Weinheim, Deutschland: Beltz Juventa.

Vigotski, L. S. (2000): A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo, SP: Martins Fontes.

Zirfas, J. (2018): Einführung in die Erziehungswissenschaft. Stuttgart: utb.

Publicado
2019-06-19
Como Citar
Lanz, H. (2019). Educação, cultura e estética na primeira infância:. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 9(23), 220-240. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2019.9.23.1178
Seção
Artigos