Considerações sobre educação, arte e política:

experiências, alternativas e resistências

  • Edite Colares Oliveira Marques PhD em Belas Artes - Universidade do Porto, Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará – UFC e Professora na Universidade Estadual do Ceará - UECE
Palavras-chave: arte, educação, política, resistência

Resumo

Este artigo aborda as interfaces entre educação, arte e política, voltando-se ao percurso histórico da educação artística brasileira com base na legislação e na experiência docente em Arte-Educação na Universidade Estadual do Ceará (UECE). Constata-se, a partir da análise da legislação, que a recente criação de uma Base Nacional Curricular Comum (BNCC) gera, na escola, uma redução do espaço do ensino de arte no Brasil. Lançamos luz sobre a formatividade da arte na vida humana; em seguida, articulamos a legislação à prática escolar de arte; e, por fim, exemplificamos os caminhos alternativos encontrados pela população como mecanismos de garantia de acesso à arte e à cultura no Brasil. O caráter utópico da arte é o que a faz ter sido sempre expressão dos anseios por um devir construído em busca de uma sociedade mais justa, onde a socialização dos bens imateriais da humanidade seja garantida pela escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Base Nacional Curricular Comum. (2017). Educação é a base. Recuperado de http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Colares, Edite (2018). Educação inicial em artes: identidade, cultura popular e ludicidade. Arte e diversidade: Anais do 2o Congresso Intersaberes em Arte, Museu e Inclusão. João Pessoa, PB. Acesso em: https://www.even3.com.br/anais/iiciami/?fbclid=IwAR1-CYkfhp6Q2wOV4Lxynu2VvAJG8oiRVxhKA_GSXOOsHrOfq86ZhEUbxzE

Eco, U. (2013). A definição da arte. Rio de Janeiro, RJ: Record.

Head, H. (1983). Arte e alienação. Rio de Janeiro, RJ: Zahar.

Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF.

Lei n. 11.645, de 10 março de 2008. (2008). Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Brasília, DF.

Lei n. 11.769, de 18 de agosto de 2008. (2008). Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica. Brasília, DF.

Lei n. 12.287 de 13 de julho de 2010. (2010). Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, no tocante ao ensino da arte. Brasília, DF.

Lei n. 13.278, de 2 de maio de 2016. (2016). Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que fixa as diretrizes e bases da educação nacional, referente ao ensino da arte. Brasília, DF.

Rancière, J. (2015). O mestre ignorante. Cinco lições sobre emancipação intelectual. Belo Horizonte, MG: Autêntica.

Publicado
2019-06-18
Como Citar
Marques, E. (2019). Considerações sobre educação, arte e política:. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 9(23), 124-140. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2019.9.23.1160
Seção
Artigos