Parceria Público Privada para a Prestação de Serviços não Assistenciais da Atenção Primária de Saúde de Belo Horizonte

  • Cristina Maria da Paz Oliveira Martins Mestra em Promoção da Saúde e Prevenção da Violência - UFMG
  • Carla Jorge Machado Doutora pela Johns Hopkins University e Professora no Departamento de Medicina Preventiva e Social da Faculdade de Medicina da UFMG
Palavras-chave: Parceria Público-Privada, Infraestrutura, Atenção Primária

Resumo

Um aumento do investimento na infraestrutura da Atenção Primária à Saúde é crucial para alcançarmos uma atenção resolutiva e de qualidade. Portanto, urge a necessidade de buscarmos formas de financiamento que não estejam na contramão do SUS. Que não requeiram a entrega das ações assistenciais ao privado. Mas que seja uma forma de delegar sim, as ações não assistências, visto que o SUS não tem que ter expertise neste campo.Esta narrativa versa sobre a Parceria Público Privada, como alternativa de financiamento dos serviços não assistências. Tem como objetivo apresentar e analisar a legalidade, a adequação e o atendimento dos requisitos legais relativos do Projeto de Qualificação da Infraestrutura da Atenção Primária à Saúde. Este teve como objetivo a reestruturação dos espaços físicos, equipamentos e mobiliários, assim como os serviços não assistências dos 147 Centros de Saúde, dos 7 laboratórios e uma Central de Material Esterilizado, do Município de Belo Horizonte do Estado de Minas Gerais. Amparada pelo referencial teórico que sustenta e qualifica as reflexões sobre a perspectiva da narrativa, a autora vai tecendo os fatos, interpretações e recomendações que respaldaram e embasaram a construção do Projeto. Analisamos o contexto que propiciou a implementação das Parcerias Público Privada no âmbito internacional e o ordenamento jurídico brasileiro, e desenvolvemos uma análise detalhada dos requisitos específicos para contratação na referida modalidade, sob a luz do Edital 008/11. Assim como o impacto positivo na prestação/disponibilização do serviço público de qualidade.

Referências

Alvarenga, J., & Dias, W. R. (2010). O orçamento participativo digital e a democracia participativa: um estudo de caso a partir da experiência de Belo Horizonte. Revista Tecer, 3(5), 159-163.

Berto, A. M. (2012, maio). Parceria público-privada na gestão hospitalar: sob a ótica do usuário. In Anais do 6o Encontro Nacional de Pesquisadores em Gestão Social. São Paulo, SP.

Brasil. (2003). Gestão financeira do Sistema Único de Saúde: manual básico (3a ed.). Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Brasil. (2009). O Sistema Único de Saúde e a qualificação do acesso. Brasília, DF: Conselho Nacional de Secretários de Saúde.

Brasil. (2011). O financiamento da saúde (Coleção Para Entender a Gestão do SUS n. 2). Brasília, DF: Conselho Nacional de Secretários de Saúde.

Brasil. (2014a). Caminhos da saúde no Brasil (Conass Debate n. 2). Brasília, DF: Conselho Nacional de Secretários de Saúde.

Brasil. (2014b). Cartilha para apresentação de propostas ao Ministério da Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Brito, B. N. B., & Silveira, A. H. P. (2005). Parceria público-privada: compreendendo o modelo brasileiro. Revista do Serviço Público, 56(1), 7-21.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. (1988, outubro). Brasília, DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm

Contrato de comodato. (2011). Recuperado de http://cesinha27a.wordpress.com/2011/08/05/contrato-de-comodato-e-o-emprestimo-gratuito-de-coisas-nao-fungiveis-perfaz-se-com-a-tradicao-do-objeto/

Farquharson, E., & Ellis, O. (2010). Conceitos de projetos de PPP (Manuscrito não publicado). São Paulo, SP: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Fundação Oswaldo Cruz. (2012). A saúde no Brasil em 2030: diretrizes para a prospecção estratégica do sistema de saúde brasileiro. Rio de Janeiro, RJ: Autor.

Gomes, L. S. A Lei Complementar nº 141/2012 e os investimentos da União em saúde. Orçamento público em discussão. Senado Federal – Consultoria de Orçamentos, Fiscalização e Controle. 2013. n. 06

Lei n. 8.666, de 21 de junho de 1993. (1993, junho). Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Brasília, DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8666cons.htm

Lei n. 11.079, de 30 de dezembro de 2004. (2004, dezembro). Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito da administração pública. Brasília, DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l11079.htm

Medici, A. C. (2011). O papel das parcerias público-privadas na gestão e no financiamento do setor saúde. In P. Modesto, & L. A. P. Cunha, Jr. (Coords.). Terceiro setor e parcerias na área de saúde. Belo Horizonte, MG: Fórum.

Mendes, A., & Marques, R. M. (2009). O financiamento do SUS sob os “ventos” da financeirização. Ciência & Saúde Coletiva, 14(3), 841-850.

Moraes, M. S. (2006, novembro). Aspecto do modelo brasileiro das parcerias público-privadas sob a luz da experiência britânica. In Encontro de Administração Pública e Governança. São Paulo, SP.

Pestana, M., & Mendes, E. V. (2004). Pacto de gestão: da municipalização autárquica à regionalização cooperativa. Belo Horizonte, MG: Secretaria da Saúde.

Piola, S. F., Servo, L. M., Sá, E. B., & Paiva, A. B. (2012). Financiamento do Sistema Único de Saúde: trajetória recente e cenários para o futuro (Número especial). Análise Econômica, 30, p. 9-33.

Piola, S. F. et al. (2009). Saúde no Brasil: algumas questões sobre o Sistema Único de Saúde (SUS) (Texto para Discussão n. 1391). Brasília, DF: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.

Portaria n. 2.206, de 14 de setembro de 2011. (2011, setembro). Institui, no âmbito da Política Nacional de Atenção Básica, o Programa de Requalificação de Unidades Básicas de Saúde e o respectivo Componente Reforma. Brasília, DF. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2206_14_09_2011_rep.html

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte. (2011). Qualificação da infraestrutura da atenção primária à saúde de Belo Horizonte: Edital 008/11. Belo Horizonte, MG: Autor.

Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde. (1986, novembro). Carta de Ottawa. Ottawa, Canada.

Ribeiro, M., P. Concessões e PPPs: melhores práticas em licitações e contratos. Recuperado de http://www.portugalribeiro.com.br/ebooks/concessoes-e-ppps/

Sundfeld, C. A. (2006). Fundamentos de direito público (4a ed.). São Paulo: Malheiros.

Takamatsu, S. L. (1996). Gestão pública participativa: a experiência do Conselho Municipal de Saúde de Belo Horizonte (Dissertação de Mestrado), Fundação Getulio Vargas, Rio de Janeiro, RJ.

Zanchim, K. (2014, maio). 10 anos da lei federal de parcerias público-privadas. In Relatório do PPP Summit. São Paulo, SP. Recuperado de http://hiria.com.br/reports/PDF-Report-PPP-Summit-2014.pdf

Publicado
2018-01-08
Como Citar
Martins, C. M., & Machado, C. J. (2018). Parceria Público Privada para a Prestação de Serviços não Assistenciais da Atenção Primária de Saúde de Belo Horizonte. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 8(20), 100-117. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2018.8.20.1052
Seção
Artigos