A Crítica da Modernidade de Alasdair MacIntyre

Autores

  • Magnus Dagios UNIR

Palavras-chave:

Ética, Moral, Ética de Virtudes, Emotivismo

Resumo

O trabalho analisa a crítica de Alasdair MacIntyre contra a modernidade em seu livro “Depois da Virtude” e contrapõe essa proposta em virtude do contexto contemporâneo. MacIntyre parte de uma visão do caos em que a filosofia e as ciências se encontram, com apenas teorias fragmentárias, incapazes de se realocar em um mundo que já não se reconhece a si mesmo. Entre os motivos desta crise está a própria jovialidade da história acadêmica, incapaz de compreender os antelóquios do colapso. Um dos sintomas do problema e a preponderância das teorias emotivistas, que expõe que todos os juízos morais são expressões de preferência, sentimentos ou atitudes, totalmente subjetivos e irredutíveis à uma análise mais precisa. A Ética de Virtudes do Estagirita é defendida como a solução para o problema. No final será mostrado que essa proposta poderá não satisfazer o espectro moral contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BERLIN, Isaiah. Estudos sobre a humanidade. Uma ontologia de ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

HABERMAS, Jürgen. Verdade e Justificação. Ensaios filosóficos. Edições Loyola: São Paulo, 2004. p. 290.

MACINTYRE, Alasdair. Depois da virtude. Bauru –SP: Edusc, 2001.

WEBER, Max. A ética protestante e o ‘espírito’ do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

Downloads

Publicado

2021-11-13

Como Citar

DAGIOS, M. A Crítica da Modernidade de Alasdair MacIntyre. Kalagatos , [S. l.], v. 18, n. 1, p. 8–21, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/kalagatos/article/view/7159. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos