A morte da Psicologia:

A interferência das novas tecnologias na subjetividade e nas relações inter-humanas

Autores

  • Sandonaity Monteiro Amorim Júnior Faculdade Católica do Rio Grande do Norte
  • Joziane Kamily da Silva Oliveira
  • Tereza Raquel Lucena de Oliveira
  • Karidja Kalliany Carlos de Freitas Moura

Resumo

Hans Jonas, Harari e Han abordam o impacto da tecnologia na vida humana. Enquanto Jonas carece de experiência em logaritmos e IAs, previu a rápida evolução técnico-científica. Ele também sabia que as novas tecnologias afetariam relações humanas e nas entrelinhas deixa sutilmente a ideia de que a psicologia enfrentaria alguns desafios. Por meio de uma revisão bibliográfica, serão analisados conceitos como sociedade da transparência e infoesfera, revelando a digitalização crescente. Consequentemente, a ênfase na informação digital compromete a subjetividade e a introspecção, como alertado por Harari. Além disso, com a coleta massiva de dados, algoritmos e IAs podem manipular e descrever indivíduos detalhadamente, exigindo uma revisão dos valores éticos contemporâneos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2024-04-09

Como Citar

MONTEIRO AMORIM JÚNIOR, S.; KAMILY DA SILVA OLIVEIRA, J.; RAQUEL LUCENA DE OLIVEIRA, T.; KALLIANY CARLOS DE FREITAS MOURA, K. A morte da Psicologia: : A interferência das novas tecnologias na subjetividade e nas relações inter-humanas. Kalagatos , [S. l.], v. 21, n. 1, p. eK24016, 2024. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/kalagatos/article/view/12633. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos