O Esquecimento da diferença ontológica no primeiro início grego

Heidegger e a crítica destrutiva à Ontoteologia

Autores

  • Nathalia Claro Moreira UERJ

Palavras-chave:

Ontoteologia, Heidegger, Aristóteles, Metafísica, Destruktion

Resumo

O artigo analisa a crítica de Heidegger à abordagem bipartida de Aristóteles sobre o ente e o ser na gênese da metafísica ocidental. Heidegger contesta a análise aristotélica, argumentando que a integração do ente como um todo e dos entes particulares na phýsis resultou no desprezo pela diferença ontológica. O filósofo alemão sugeriu que a bifurcação do ser levou à tradição metafísica tornar-se uma "ontoteologia". Em contraste, Heidegger, através da hermenêutica fenomenológica, reintroduziu a questão do ser, enfatizando a compreensão dos seres pela maneira pré-lógica como o dasein existe no mundo, sem depender de um fundamento eterno e imóvel.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARISTOTELES. Metafísica, livros VII e VIII. Tradução de Lucas Angioni. Col. Clássicos da Filosofia: Cadernos de Tradução nº. 9, Campinas: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas/ Unicamp, 2007.

BATISTA, João Bosco. A verdade do ser como aletheia e errância. Existência e Arte Revista Eletrônica do Grupo PET - Ciências Humanas, Estética e Artes da Universidade Federal de São João Del-Rei - Ano I - Número I – janeiro a dezembro de 2005.

BISCARDI, Federica. L’essere e l’ente. La differenza ontologica a partire dalla lettura heideggeriana della “ontoteologia. Master's Degree Thesis, Università Ca' Foscari Venezia. 2021.

ELIADE, Mircea. O Sagrado e o Profano. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FIGAL, Gunter. Martin Heidegger: fenomenologia da liberdade. Tradução de Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

HANLEY, Catriona. Being and God in Aristotle and Heidegger: The Role of Method in Thinking the Infinite. Rowman & Littlefield Publishers, 2000.

HEIDEGGER, Martin, Identidade e diferença. in: HEIDEGGER, Martin. Conferências e escritos filosóficos, tradução de Ernildo Stein, São Paulo: Nova Cultural, 2005.

HEIDEGGER, Martin. Alétheia: Heráclito, fragmento 16. In: HEIDEGGER, Martin. Ensaios e conferências. Trad. Emmanuel Carneiro Leão, Gilvan Fogel e Márcia de Sá Cavalcante Schuback. Petrópolis: Vozes, 2002.

HEIDEGGER, Martin. Introducción a la investigación fenomenológica. Trad.Juan José García Norro. Madrid: Sínteses, 2006.

HEIDEGGER, Martin. Metaphysische Anfangsgründe der Logik im Ausgang von Leibniz. GA 26. Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1978.

HEIDEGGER, Martin. Os Conceitos Fundamentais da Metafísica: Mundo, Finitude e Solidão. Trad.: Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

HEIDEGGER, Martin. Platão: O sofista. Trad. Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

HEIDEGGER, Martin. Que é isto – a filosofia? Trad. Ernildo Stein. São Paulo: Duas Cidades, 1971.

MASSAROLLO, Leosir S. O estar-lançado, a angústia e o mundo no pensamento de Martin Heidegger: uma relação originária. Controvérsia, São Leopoldo, v. 15, n. 1, p. 117-134, jan.-abr. 2019.

PÖGGELER, Otto. A Via do pensamento de Heidegger. Tradução de Jorge Telles de Menezes. Coleção Pensamento e Filosofia. São Paulo: Instituto Piaget, 2001.

RODRIGUES, F. Heidegger face à metafísica como ontoteologia: origens de um diagnóstico crítico (1927-1930). Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), [S. l.], v. 18, n. 30, p. 233–252, 2012.

Publicado

2024-03-14

Como Citar

MOREIRA, N. C. O Esquecimento da diferença ontológica no primeiro início grego: Heidegger e a crítica destrutiva à Ontoteologia. Kalagatos , [S. l.], v. 21, n. 1, p. eK24012, 2024. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/kalagatos/article/view/12387. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos