SOS Vamos Revelar - Atenção à vítima de agressão sexual

A educação como mecanismo de combate à violência contra a mulher, um relato de experiência

Autores

  • Juliany Kisberi Universidade Federal de São Paulo
  • Izabelly Oliveira Corsi Nogueira Universidade Federal de São Paulo
  • Eloisa Auler Bittencourt
  • Andréa Cristina de Moraes Malinverni Universidade Federal de São Paulo
  • Edna Sadayo Miazato Iwamura Universidade Federal de São Paulo

Palavras-chave:

extensão, violência contra a mulher, saúde, legislação, educação

Resumo

O Projeto de Extensão “SOS Vamos Revelar - Atenção à vítima de agressão sexual” surgiu em 2021, durante a pandemia COVID-19. Seu objetivo é discutir, esclarecer e educar os indivíduos no meio acadêmico e não acadêmico sobre um tema sensível e complexo, a violência contra a mulher. Atualmente, o projeto conta com mais de 800 seguidores e atingiu cerca de 3500 contas no Instagram, a rede social de maior acesso do programa. As informações disseminadas incluem: exemplos do que é considerado violência contra a mulher e quais os respaldos da legislação brasileira nestas situações, locais de atendimento à saúde e de auxílio jurídico e, sobretudo, o reconhecimento de doenças associadas a violência, nas suas diferentes formas. Dessa forma, ao buscarem por auxílio informacional nas redes sociais do “SOS Vamos Revelar”, as mulheres são direcionadas ao conhecimento, seja relacionado a locais de cuidado à saúde da mulher ou às leis que as resguardam.

Biografia do Autor

Juliany Kisberi, Universidade Federal de São Paulo

Graduanda de Biomedicina pela Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP). Atualmente, é aluna de Iniciação Científica do Departamento de Patologia da UNIFESP, orientada pela Profª Drª Edna Miazato Sadayo Iwamura. Possui o cargo de Diretora Geral e membro fundadora da LAPEC-UNIFESP (Liga Acadêmica de Perícia Criminal da UNIFESP). Membro do projeto de extensão SOS Vamos Revelar da UNIFESP, abordando o tema de violência contra a mulher. Membro do Voluntariado EPM da EPM-UNIFESP.

Referências

PINTO, L. S. S. et al. Women's protection public policies: evaluation of health care for victims of sexual violence. Cien Saude Colet (Online), [S.l.], v. 22, n. 5, p. 1501-1508, mai. 2017. DOI: 10.1590/1413-81232017225.33272016. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28538921/. Acesso em: 01 mar. 2022.

CAMPOS, B.; TCHALEKIAN, B.; PAIVA, V. Violência contra a mulher: Vulnerabilidade programática em tempos de SARS-CoV-2/COVID-19 em São Paulo. Psico. soc. (Online), São Paulo, v. 32, 2020. DOI: 10.1590/1807-0310/2020v32240336. DOI https://doi.org/10.1590/1807-0310/2020v32240336. Disponível em: https://www.scielo.br/j/psoc/a/Bqv5dn5fbL3LTrm3PGvJDzN/?lang=pt. Acesso em: 01 mar. 2022.

AGUIAR, J. M.; D’OLIVEIRA, A. F. P. L.; SCHRAIBER, L. B. Mudanças históricas na rede intersetorial de serviços voltados à violência contra a mulher - São Paulo, Brasil. Interface (Botucatu Online), Botucatu, v. 24, 23 mar. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/interface.190486. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/S6jqNqywCWZ4NLXCcJGJDVb/abstract/?lang=pt. Acesso em: 01 mar. 2022.

QUEIROZ, F. M.; DINIZ, M. I. Serviço social, lutas feministas e violência contra a mulher. Temporalis (Online), Distrito Federal, v. 14, n. 28, 2014. DOI: https://doi.org/10.22422/2238-1856.2014v14n28p95-112. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/temporalis/article/view/6437. Acesso em: 01 mar. 2022.

PINTO, C. R. J. Uma história do feminismo no Brasil. Rev. Bras. Ci. Soc., São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, v. 34, n.1, p. 135-138, 2003. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/9815/1/2003_art_iafbarreira.pdf. Acesso em 01 mar. 2022.

SAFFIOTTI, H. I. B. Violência doméstica: questão de polícia e da sociedade. Gênero e cidadania, [S.l.], p. 60-69, [s.d.] Disponível em: http://www.mpgo.mp.br/portal/arquivos/2015/05/22/17_29_35_372_Viol%C3%AAncia_dom%C3%A9stica_quest%C3%A3o_de_pol%C3%ADcia_e_da_sociedade.pdf. Acesso em: 01 mar. 2022.

BRASIL. Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil, Poder Legislativo, Brasília, DF, 8 ago. 2006. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11340.htm. Acesso em: 01 mar. 2022.

MARTINS, A. et al. Violência contra a mulher em tempos de pandemia da Covid-19 no Brasil: revisão narrativa de literatura. Rev. Enferm. Atual In Derm, [S.l.], v. 93, 2020. DOI: https://doi.org/10.31011/reaid-2020-v.93-n.0-art.828. Disponível em: https://revistaenfermagematual.com.br/index.php/revista/article/view/828. Acesso em: 01 mar. 2022.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Manual de rotinas e estruturação dos juizados de violência doméstica e familiar contra a mulher. Lex: jurisprudência do Conselho Nacional de Justiça. Brasília, Disponível em: http://www.tjpa.jus.br/CMSPortal/VisualizarArquivo?idArquivo=822732. Acesso em 01 mar. 2022.

LIMA, V. The role of local government in the prevention of violence against women and girls during the COVID-19 pandemic. Bull Lat Am Res (Online), [S.l.], v. 39, p. 84-87, dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.1111/blar.13191. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/toc/14709856/2020/39/S1 doi: 10.1111/blar.13191. Acesso em 01 mar. 2022.

NICE, B. G.; BORUSHEK, A. Wilson Center. A double pandemic: gender-based violence in Latin America and the early experience of women during Covid-19. 2020. Acesso em 01 mar. 2022. Disponível em: https://www.wilsoncenter.org/article/double-pandemic.

BRASIL. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Denúncias registradas pelo Ligue 180 aumentam nos quatro primeiros meses de 2020. 14 mar. 2020. Disponível em: https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2020-2/maio/denuncias-registradas-pelo-ligue-180-aumentam-nos-quatro-primeiros-meses-de-2020. Acesso em 01 mar. 2022.

NOGUEIRA, C. et al. Situações e repercussões da violência doméstica na saúde das mulheres. Rev. Enferm. Contemp., [S.l.], v. 10, n. 2, p. 272-279, 2021. DOI: https://DOI:.org/10.17267/2317-3378rec.v10i2.3888. Disponível em: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/enfermagem/article/view/3888. Acesso em: 01 mar. 2022.

VIGNALI, C. F. UNESP. Tripé universitário: princípio da indissociabilidade: a tríade que rege o Ensino, Pesquisa e Extensão nas IES. Disponível em: https://www.faac.unesp.br/#!/noticia/1873/tripé-universitário/. Acesso em: 02 mar. 2022.

CARDOSO, M. C. et al. Utilização das redes sociais em projeto de extensão universitária em saúde durante a pandemia de COVID-19. Expr. Exten., Pelotas, v. 26, n. 1, p. 551-558, jan-abr 2021. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/expressaextensao/article/view/19640. Acesso em 02. mar. 2022.

SERRANO, R. M. S. M. Conceitos de extensão universitária: um diálogo com Paulo Freire. Pró-reitoria de extensão e assuntos comunitários–PRAC. João Pessoa, 2006.

Downloads

Publicado

2022-08-05

Como Citar

Kisberi, J. B., Oliveira Corsi Nogueira, I. ., Auler Bittencourt, E., de Moraes Malinverni, A. C., & Sadayo Miazato Iwamura, E. (2022). SOS Vamos Revelar - Atenção à vítima de agressão sexual: A educação como mecanismo de combate à violência contra a mulher, um relato de experiência. Conexão ComCiência, 2(2). Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/conexaocomciencia/article/view/8139

Edição

Seção

Dossiê - Extensão Universitária