Spinoza: nominalismo, realismo e método geométrico

Autores

  • Bernardo Bianchi Barata Ribeiro Doutorando em ciência política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro - Iuperj

Palavras-chave:

Nominalismo. Linguagem. Instrumentalismo. Método. Razão.

Resumo

Spinoza nega qualquer instrumentalismo que possa implicar o caráter fundacional do seu método. Os nomes não são condição da razão, apenas a própria natureza o pode ser, porquanto sua potência é igual à sua essência. Assim, a semiologia recusa o espontaneísmo e deve ser denominada semiofísica.

 

Abstract

Spinoza denies every sort of instrumentalism that may imply the foundational quality of his method. Names cannot be the condition for reasoning. Only nature can be so, for its power is the same as its essence. Therefore, semiology refuses spontaneousness and must be called semiophysics. 

Key-words: Nominalism. Language. Instrumentalism. Method. Reason.

Arquivos adicionais

Publicado

2009-01-13

Como Citar

Ribeiro, B. B. B. (2009). Spinoza: nominalismo, realismo e método geométrico. Revista Conatus - Filosofia De Spinoza (ISSN 1981-7509), 2(4), 41–52. Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/conatus/article/view/1786