Spinoza e Espinosa: excurso antroponímico

Autores

  • André dos Santos Campos Doutorando em Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

Palavras-chave:

Antroponímia.  Spinoza.  Espinosa.  Diversidade. Português.

Resumo

Subsiste nos países de expressão ibérica uma ausência de uniformidade na designação onomástica do autor da “Ética”, quer quanto ao nome próprio quer quanto ao apelido. O presente artigo visa analisar as várias opções antroponímicas em língua portuguesa, seguindo diferentes critérios (o das preferências do filósofo, o histórico, o filológico, o da evolução da pronúncia), até atingir a conclusão da legitimidade, com diferentes fundamentos, de várias dessas mesmas opções. No final, por ser preferível uma crescente uniformidade internacional nos estudos spinozistas, apresenta-se a preferência pela forma “B. de Spinoza.

Arquivos adicionais

Publicado

2007-09-02

Como Citar

Campos, A. dos S. (2007). Spinoza e Espinosa: excurso antroponímico. Revista Conatus - Filosofia De Spinoza (ISSN 1981-7509), 1(1), 19–26. Recuperado de https://revistas.uece.br/index.php/conatus/article/view/1649