CONFISSÕES DE SATURNO:

O DIÁRIO MELANCÓLICO DE ALCIDES ARGUEDAS.

Autores

  • Cláudio Diniz Faculdades Santo Agostinho / Promove em Sete Lagoas-MG

Palavras-chave:

Diário Íntimo, Racismo Científico, Melancolia, Tradição e Modernidade

Resumo

O escritor boliviano Alcides Arguedas (1874-1946) produziu a maior parte de sua obra sob forte influência de um ideário pessimista. Seu horizonte intelectual incluía autores que concordavam com as doutrinas oriundas do racismo científico dos séculos XIX e XX. O problema racial e, sem dúvida, o fator climático aliado à determinação do meio são características indeléveis do seu trabalho. Entre os anos de 1900 e 1946, Arguedas escreveu seu diário íntimo. Nessa obra fica evidente a relação entre a ideia de melancolia e as considerações sobre a nação e identidade nacional boliviana. No artigo que segue queremos conhecer o processo de criação do diário íntimo de Arguedas. Quais eram as tópicas principais abordadas pelo autor. Aquelas que mais se repetiam e aquelas que apareceram esporadicamente deixando registros importantes. Queremos compreender os norteadores da escrita do diário e os pilares metodológicos de sua construção. Alcides Arguedas impôs uma metodologia de divisão dos cadernos que compõem os tomos de seu diário e a nossa intenção é observar como isso aconteceu. Decorre disso o questionamento sobre os limites ficcionais da obra de Arguedas e os critérios que possibilitaram sua construção.

Biografia do Autor

Cláudio Diniz, Faculdades Santo Agostinho / Promove em Sete Lagoas-MG

Cláudio Diniz é doutor em história social pelo Programa de Pós-graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro e é professor das faculdades Santo Agostinho e Promove em Sete Lagoas-MG. E-mail: claudio_diniz@ymail.com

Publicado

2022-01-12

Como Citar

DINIZ, C. . CONFISSÕES DE SATURNO: : O DIÁRIO MELANCÓLICO DE ALCIDES ARGUEDAS. Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s), [S. l.], v. 3, n. 04, 2022. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/bilros/article/view/7641. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS