RENEGANDO O SANGUE

O INFANTICÍDIO DO JOVEM FORTALEZENSE BEMVINDO LOPES DE ARAÚJO

Autores

  • Gleiciane Damasceno Nobre Universidade Estadual do Ceará - UECE

Palavras-chave:

Infanticídio, Fortaleza, Crime

Resumo

Na primeira metade do século XX constatamos, a partir da análise de processos criminais, que muitas mulheres cometiam o crime de infanticídio para ocultar sua desonra, mas neste caso percebemos uma peculiaridade: o crime fora cometido por um homem o que nos leva a refletir até que ponto o infanticídio se trata do "pecado" de uma mulher. Por um longo tempo, aqueles que não estiveram entre os grandes nomes ficaram perdidos entre as páginas dos processos criminais. A partir da análise desse documento pretendemos compreender como os homens se sentiam diante da eminência de um filho inesperado e como as mulheres faziam para contornar a natureza e evitar que ambos se tornassem motivos para exclusão e difamação perante a conservadora sociedade fortalezense da época.

Biografia do Autor

Gleiciane Damasceno Nobre, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Graduada em História pela Universidade Estadual do Ceará - UECE; Estudante do curso de Pós-Graduação em História do Brasil pela Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA, Pesquisadora no Projeto: Capitalismo e Civilização nas Cidades do Estado do Ceará (1860- 1930) na Linha de Pesquisa em Práticas Urbanas do Mestrado Acadêmico de História - MAHIS. E-mail: gleicianenobre@yahoo.com.br.

Publicado

2022-01-08

Como Citar

NOBRE, G. D. . RENEGANDO O SANGUE: O INFANTICÍDIO DO JOVEM FORTALEZENSE BEMVINDO LOPES DE ARAÚJO. Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s), [S. l.], v. 2, n. 03, 2022. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/bilros/article/view/7586. Acesso em: 14 ago. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS