A ALEX POLARI DE ALVERGA

Autores

  • Paulo Glayson Lima Lopes

Palavras-chave:

ALEX POLARI DE ALVERGA, Ditadura, Liberdade, Poema

Resumo

Preso no Rio de Janeiro em 1971 por envolvimento direto em movimentos de guerrilha, contrabandeava (para o lado de fora!) das prisões por onde passou as poesias que escrevia, denunciando os horrores vividos no cárcere. Várias delas, à época, publicadas pela Anistia Internacional e apreciadas por círculos acadêmicos europeus e latino-americanos engajados na defesa dos direitos humanos. Seus versos foram reunidos nos livros Inventário de cicatrizes (1975) e Camarim de prisioneiro (1980). Com a promulgação da Lei da Anistia (1979), vem gozando desde 1980 “esse estranho direito de ir e vir/ sem levar um pau” – como ele próprio já versou. Atualmente, atua como líder de comunidades aglomeradas em torno dos rituais do Santo Daime.

Biografia do Autor

Paulo Glayson Lima Lopes

Graduado em História pela Universidade Federal do Ceará (UFC). E-mail: pauloglaysonlopes@hotmail.com.

Publicado

2021-12-31

Como Citar

LOPES, P. G. L. . A ALEX POLARI DE ALVERGA. Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s), [S. l.], v. 2, n. 02, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/bilros/article/view/7542. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

ENQUANTO ISSO... OUTRAS HISTÓRIAS