FESTAS, CELEBRAÇÕES E SUNTUOSIDADE:

OS BATISMOS SOLENES EM GOA COMO MECANISMOS PARA CONVERSÃO DO GENTIO (SÉCULO XVI)

Autores

  • Felipe Augusto Fernandes Borges GPHECULT (IFPR)
  • Elenice Alves Dias Borges GPHECULT (IFPR)

Palavras-chave:

Batismos Solenes, Goa, Estado da Índia, Catequese

Resumo

Este trabalho tem como objetivo refletir sobre um aspecto da religiosidade em Goa, as suntuosas cerimônias de batismo, que denominamos batismos solenes. Conquistada pelos portugueses em 1510, Goa se tornou a sede administrativa e religiosa do Estado da Índia. Nossas fontes são documentos do século XVI, contidos nos volumes I, II, III e IV da Documenta Indica, organizada por Joseph Wicki. Foi realizado um levantamento a respeito destes batismos solenes na documentação citada, que foi analisada apoiando-se nas reflexões de Cavalcanti (2013) e Souza (2013) para pensar o fenômeno das festas religiosas, e numa extensa historiografia pertinente sobre o Estado da Índia no século XVI. Compreendemos que a suntuosidade dos batismos solenes apontava para os benefícios de se fazer cristão no Estado da Índia. Batismos de figuras importantes das sociedades locais eram revestidos de suntuosidade e de festejos, a fim de demonstrar o poderio cristão e as honras destinadas aos convertidos.  Assim, os batismos solenes eram mecanismos utilizados para encorajar conversões nas populações locais.

Biografia do Autor

Felipe Augusto Fernandes Borges , GPHECULT (IFPR)

Instituto Federal do Paraná. Doutor em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Professor do curso de Pedagogia do Instituto Federal do Paraná, Campus Pitanga. É líder do Grupo de Pesquisa História, Educação e Cultura – GPHECULT (IFPR) e participa do grupo de pesquisa: Laboratório de Estudos do Império Português (LEIP) da Universidade Estadual de Maringá. E-mail: felipe.borges@ifpr.edu.br

Elenice Alves Dias Borges , GPHECULT (IFPR)

Universidade Estadual de Maringá. Mestranda em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Graduada em História e Especialista em Interdisciplinaridade e Docência (IFPR). Participa do grupo de pesquisa Laboratório de Estudos do Império Português (LEIP) da Universidade Estadual de Maringá e do Grupo de Pesquisa História, Educação e Cultura – GPHECULT (IFPR). E-mail: elenice.adborges@outlook.com

Referências

BORGES, Felipe Augusto Fernandes. Educação, catequese e ensino: missões da Companhia de Jesus na Índia (1542-1552). Revista Eletrônica Espaço Acadêmico (Online), v.19, p.79 - 90, 2020.

BORGES, Felipe Augusto Fernandes. Tolerância e perseguição nas relações entre cristãos e hindus em Goa: a Confraria de Conversão à Fé. In: Extremos Orientes. União da Vitória; Rio de Janeiro: Edição Especial Sobre Ontens - LAPHIS/UNESPAR, 2018, v.01, p. 119-128.

BORGES, Felipe Augusto Fernandes; MENEZES, Sezinando Luiz & COSTA, Célio Juvenal. Colégio de São Paulo, em Goa: um colégio jesuítico no oriente (1548-1558). Estudos Ibero-Americanos, 46(2), e32721, 2020. https://doi.org/10.15448/1980-864X.2020.2.32721.Acesso em ago./2020.

BOXER, Charles Ralph. A Índia portuguesa em meados do século XVII. Trad. Luís Manoel Nunes Barão. Lisboa: Edições 70, 1982.

BOXER, Charles Ralph. O Império Marítimo Português (1415-1825). São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro. A festa em perspectiva antropológica: carnaval e os folguedos do boi no Brasil. In: Extrait du Artelogie, n. 4, 2013, s/p. Disponível em: http://cral.in2p3.fr/artelogie/spip.php?article183. Acesso em ago./2020.

DISNEY, Anthony R. A decadência do império da pimenta: comércio português na Índia no início do séc. XVII. Lisboa: Edições 70, 1981.

KOK, Glória Porto. Sertão itinerante: expedições da capitania de São

Paulo no século XVIII. São Paulo: HUCIEC/FAPESP, 2004.

LONDOÑO, Fernando Torres. Escrevendo Cartas: Jesuítas, Escrita e Missão no Século XVI. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 22, n. 43, p. 11-32, 2002. https://doi.org/10.1590/S0102-01882002000100002. Acesso em ago./2020.

MANSO, Maria de Deus Beites. A Companhia de Jesus na Índia (1542-1622): Actividades Religiosas, Poderes e Contactos Culturais. Évora: Universidade de Évora; Macau: Universidade de Macau, 2009.

PAIVA, José Maria de. Colonização e Catequese. São Paulo: Arké, 2006.

PAIVA, José Maria de. Religiosidade e Cultura Brasileira: séculos XVI – XVII. Maringá: EDUEM, 2012.

PANIKKAR, Kavalam Madhava. A dominação ocidental na Ásia. 2. ed. Rio de Janeiro: Saga, 1969.

PÉCORA, Alcir. Epistolografa Jesuítica no Brasil, Grão-Pará e Maranhão. Revista Estudos Amazônicos, Belém, v. III, n. 1, p. 39-46, 2008.

SOUZA, Ricardo Luiz de. Festas, procissões, romarias, milagres: aspectos do catolicismo popular. Natal: Editora do IFRN, 2013.

SOUZA, Teotónio R. de. Goa medieval: a cidade e o interior no século XVII. Lisboa, Editorial Estampa, 1994.

SOUZA, Teotónio R. de. O Padroado português do Oriente visto da Índia: instrumentalização política da religião. Revista Lusófona de Ciência das Religiões, 13/14, 2008, pp. 413-430. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/48580032.pdf. Acesso em ago./2020.

TAVARES, Célia Cristina da Silva. Jesuítas e inquisidores em Goa: a cristandade insular (1540-1682). Lisboa: Roma Editora, 2004.

THOMAZ, Luís Filipe. De Ceuta a Timor. 2. ed. Lisboa: Difel, 1994.

Publicado

2023-08-27

Como Citar

FERNANDES BORGES , F. A.; ALVES DIAS BORGES , E. FESTAS, CELEBRAÇÕES E SUNTUOSIDADE:: OS BATISMOS SOLENES EM GOA COMO MECANISMOS PARA CONVERSÃO DO GENTIO (SÉCULO XVI). Revista de História Bilros: História(s), Sociedade(s) e Cultura(s), [S. l.], v. 10, n. 21, p. 24, 2023. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/bilros/article/view/11328. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS