Vargas e Goulart:

o populismo em questão

  • Pedro Cezar Dutra Fonseca Professor na Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGSPesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq https://orcid.org/0000-0002-3814-9578
  • Ivan Colangelo Salomão Professor na Universidade Federal do Paraná – UFPR https://orcid.org/0000-0001-5857-7505
Palavras-chave: populismo econômico, Getúlio Vargas, João Goulart

Resumo

Este artigo tem por objeto a economia e as controvérsias sobre a política econômica do segundo governo Getúlio Vargas (1951-1954) e do governo João Goulart (1961-1964), bem como seus respectivos significados históricos. Apesar das diferenças conjunturais quando da posse de Goulart na Presidência da República, sabe-se que ela não diferia em grandes traços do contexto econômico em que Vargas reassumiu o governo, em 1951: inflação crescente e tendência de desaceleração das taxas de crescimento do Produto Interno  Bruto (PIB), às quais se somaram, ao longo do mandato, ao agravamento da situação das contas externas, com déficit no balanço de pagamentos e dificuldades para atração de capitais externos. Guardadas as diferenças, ambos os governos tiveram desfechos trágicos, com consequências políticas e sociais negativas. Partindo das diferentes interpretações acerca da política econômica ao longo desses períodos, refuta-se, assim, a hipótese de que tanto Vargas quanto Goulart se enquadrem no conceito de populismo econômico consagrado pela literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-01-20
Como Citar
Fonseca, P. C., & Salomão, I. (2020). Vargas e Goulart:. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 10(24), 66-97. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2020.10.24.1942
Seção
Dossiê