Democratização do acesso à Cultura no Ceará: a experiência dos editais de Cultura

Autores

  • Cleilson Pereira Ribeiro
  • Alexandre de Almeida Barbalho Doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia – UFBA e Professor do Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) da UECE https://orcid.org/0000-0003-4612-6162

DOI:

https://doi.org/10.47455/2675-0090.2020.2.5.4836

Palavras-chave:

política cultural, financiamento à cultura, editais culturais

Resumo

Este trabalho visa examinar a democartização do  acesso a cultura no Ceará durante o segundo mandato do governo Cid Gomes ( 2011-2014) analisando a relação entre o financiamento de projetos culturais, por meio dos editais públicos, enquanto politica de governo para a cultura, assim como os diferentes momentos históricos da Cultura cearense, sua legislação cultural, e a atuação da Secretaria de Cultura do Ceará-SECULT no âmbito das políticas públicas. O trabalho baseia na análise  das leis de incentivo a cultura do Brasil e do Ceará ( Lei Rouanet e Lei Jereissati) e as formas como  o sistema de financiamento à Cultura, influenciaram e/ou influenciam o campo da produção cultural no estado do Ceará, discutindo  sobre o acesso à cultura por meio de políticas democráticas, com ênfase  na teoria democrática contemporânea, utilazando-se de  parâmetros que se baseiam na literatura sobre políticas públicas e  financiamento cultural, fornecendo alguns elementos  que possibiltam a compreensão do campo da produção de cultura no Ceará e sua articulação  com as políticas de financiamento público à Cultura do Brasil.

Referências

BARBALHO, A. A; BEZERRA, J. H; GADELHA, R. Políticas Públicas de Cultura e Governamentalidade: as dimensões de participação e controle nos editais de ação afirmativa. Salvador:[s.n], 2013.

BARBALHO, A. A. Políticas Culturais no Brasil: primórdios (1500-1930). Salvador: EdUFBa, 2009.

BARBALHO, A. A. A Modernização da cultura: políticas para o audiovisual nos governos Tasso Jereissati e Ciro Gomes – 1987 / 1988. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2005.

BARBALHO, A. A. Políticas Culturais no Brasil: identidade e diversidade sem diferença. In: RUBIM, A; BARBALHO, A. Políticas Culturais no Brasil. Salvador: EdUFBa, 2007.

BARBALHO, A. A. Relações entre Estado e Cultura no Brasil. Ijuí: EdUnijuí, 1998.

BRASIL. Lei 8.313, de 23 de dezembro de 1991. Restabelece princípios da Lei 7.505, de 2 de julho de 1986, institui o Programa Nacional de Apoio à Cultura (PRONAC) e dá outras providências. Presidência da República. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 24 dez. 1991. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/leis/L8313cons.htm>. Acesso em: 25 maio 2012.

BRASIL. Lei Sarney, n°7.505/86. De 02 de julho 1986. Dispõe sobre benefícios fiscais na área do imposto de renda concedidos a operações de caráter cultural ou artístico. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 03 jul. 1986. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7505.htm>. Acesso em: 25 maio 2012.

BRASIL. Ministério da Cultura. Acompanhamento de Projetos. Brasília: Ministério da Cultura, 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2012.

CALABRE, L. Política Cultural em Tempos de Democracia: a era Lula. [S.l:s.n], 2014.

CALABRE, L. Políticas Culturais no Brasil. Rio de Janeiro: EdFGV, 2009.

CALABRE, L. Políticas Culturais: teoria e práxis. São Paulo: Itaú Cultural, 2011.

CALABRE, L. Políticas Culturais: diálogos e tendências. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2010.

OLIVIERI, C. G. Cultura Neoliberal: leis de incentivo como política pública de cultura. São Paulo: Escrituras , 2004.

Downloads

Publicado

2020-07-01

Como Citar

Ribeiro, C. P., & Barbalho, A. de A. (2020). Democratização do acesso à Cultura no Ceará: a experiência dos editais de Cultura. Inovação &Amp; Tecnologia Social, 2(5), 5–16. https://doi.org/10.47455/2675-0090.2020.2.5.4836

Edição

Seção

Artigos