CANOPUS NOS MARES DO SUL. O “NAVIO BRANCO” EM AGUAS RIOGRANDINAS. REPRESSÃO NA CIDADE DE RIO GRANDE-RS NO CONTEXTO DO GOLPE CIVIL-MILITAR DE 1964

  • Robert Wagner Porto da Silva Castro
  • Edgar Ávila Gandra UFPEL
Palavras-chave: Canopus; Cidade de Rio Grande;Golpe Civil-Militar; Repressão

Resumo

O presente artigo constitui-se em uma releitura da atuação do navio hidrográfico Canopus na
cidade brasileira de Rio Grande-RS, durante o contexto tensionado do ano de 1964. Neste
sentido, considerando algumas especificidades da urbe riograndina, e ainda do momento político
do país à época, analisou-se a presença do Canopus em águas riograndinas desde o ano de 1961.
E, especialmente, seu emprego enquanto “navio prisão” e principal instrumento da repressão
capitaneada pela Marinha do Brasil naquela cidade ainda durante os primeiros dias do mês de
abril de 1964, por ocasião do Golpe Civil-Militar que instituiria uma ditadura no país naquele
ano. Destarte, o presente trabalho busca contribuir para o entendimento acerca da maneira como
foi executada a repressão em Rio Grande-RS ainda nos instantes de consolidação do golpe, bem
como sobre o processo de construção de uma representação em torno da atuação do navio
Canopus enquanto instrumento da repressão, a qual está presente no imaginário riograndino e,
ainda nos dias atuais, compõe a memória dessa sociedade

Publicado
2017-12-20