As Áreas de Risco de Desastres nos Bairros Mucuripe e Manoel Dias Branco:

um desafio às políticas públicas de defesa civil

  • Ricardo Rodrigues Catanho de Sena Mestre em Planejamento em Políticas Publicas - UECE
  • Camila Holanda Marinho Doutora em Programa de Pós-Graduação em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará - UFC e Professora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas (PPGPP) da UECE
Palavras-chave: Políticas Públicas. Defesa Civil. Áreas de Risco de Desastres.

Resumo

A presente pesquisa trabalha as políticas públicas de defesa civil junto às áreas de risco de desastres nos bairros Mucuripe e Manoel Dias Branco e, cuja realidade pode ser replicada em outros bairros, cidades e Estados do Brasil, guardadas as devidas proporções e especificidades. Desta feita introdutoriamente trata-se dos desastres, correlacionando-os com a realidade cearense e na cidade de Fortaleza, em sequência didática abrange-se as atividades em si da Defesa Civil e suas fundamentações normativas, as quais norteiam as políticas públicas de Defesa Civil no Brasil e no Ceará. No que, em continuidade envereda-se pela pertinente realidade da Cidade de Fortaleza, afunilando-se pelos bairros de Mucuripe e Manoel Dias Branco com ênfase às suas áreas de risco de desastres, expondo-se suas principais mazelas com imagens e descrições técnicas. E, para finalizar arremata-se a pesquisa em comento por meio de reflexões e sugestões de soluções às problemáticas apresentadas, em subsídios e fomentos a outras discussões, tudo ora num prisma metodológico de cunho bibliográfico, com uma utilização de resultados, de ordem pura, num viés descritivo e qualitativo e cujo beneficiado mor é a própria sociedade, haja vista a viabilidade de fomento a políticas públicas as quais se direcionam a tutelar o maior de todos os bens sociais, qual seja, a vida.     

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANUÁRIO DE FORTALEZA. Mapa de Fortaleza. 2010. Disponível em: <http://www.anuariodefortaleza.com.br/fortalezenses/populacao-por-bairros-2010.php>. Acesso em: 12 maio 2017.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da república federativa do Brasil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 12 maio 2017.

_______. Constituição (1967). Constituição da república federativa do Brasil. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao67.htm>. Acesso em: 12 maio 2017.

_______. Lei Federal nº 12.608, de 10 de abril de 2012. Ementa: Institui a Política Nacional de Proteção e Defesa Civil - PNPDEC; dispõe sobre o Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil - SINPDEC e o Conselho Nacional de Proteção e Defesa Civil - CONPDEC; autoriza a criação de sistema de informações e monitoramento de desastres; altera as Leis nos 12.340, de 1o de dezembro de 2010, 10.257, de 10 de julho de 2001, 6.766, de 19 de dezembro de 1979, 8.239, de 4 de outubro de 1991, e 9.394, de 20 de dezembro de 1996; e dá outras providências. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12608.htm>. Acesso em: 13 abr. 2015.

CASTRO, Antônio Luiz Coimbra de. Glossário de defesa civil, estudo de riscos e medicina de desastres. 2 ed. Brasília: MPO, 2008.

CEARÁ. Constituição Estadual. Fortaleza: INESP, 2009.

CEARÁ. Lei Estadual nº 13.875, de 07 de fevereiro de 2007a. Ementa: Dispõe sobre o Modelo de Gestão do Poder Executivo, altera a estrutura da Administração Estadual, promove a extinção e criação de cargos de direção e assessoramento superior, e dá outras providências.

CEARÁ. Decreto Estadual nº 28.656, de 26 de fevereiro de 2007b. Ementa: Reorganiza o Sistema Estadual de Defesa Civil – SEDC e o Conselho Estadual de Defesa Civil, dispõe sobre a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil e dá outras providencias. Disponível em: <http://www.defesacivil.ce.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=74&Itemid=155>. Acesso em: 14 maio 2017.

CUTTER, Susan. The vulnerability of science and the science of vulnerability. Annals of the Association of American Geographers, v.93, n.1, p.1-12, 2003.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo 2010: aglomerados subnormais – informações territoriais. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/imprensa/ppts/00000015164811202013480105748802.pdf >. Acesso em: 12 jan. 2017.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Mapas regionais, sociedade e economia - semiárido brasileiro. 2016. Disponível em: <http://geoftp.ibge.gov.br/cartas_e_mapas/mapas_regionais/sociedade_e_economia/semi_arido/semiarido_brasileiro.pdf>. Acesso em: 03 jan. 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ. Perfil municipal de Fortaleza. Tema VII: distribuição espacial da renda pessoal. IPECE Informe, Fortaleza, n.42, p.1-11, out.2012. Disponível em: <http://www.ipece.ce.gov.br/informe/informe%2042-ultimaversao.pdf>. Acesso em: 04 ago. 2017.

LASKA, Shirley; MORROW, Betty. Social vulnerabilities and hurricane Katrina: an unnatural disaster in New Orleans. Marine Technology Society Journal, New Orleans, v.40, n.4, p.16-26, 2006.

SENA, Ricardo Rodrigues Catanho de. A incorporação da Defesa Civil Estadual pelo Corpo de Bombeiros Militar do Ceará. São Paulo: Nelpa, 2012.

SENA, Ricardo Rodrigues Catanho de. 101 Perguntas e Respostas sobre o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará – comece a conhecê-lo e ame-o até depois do fim! São Paulo: Nelpa, 2014.

SENA, Ricardo Rodrigues Catanho de. A competência constitucional e infraconstitucional do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará no âmbito da segurança pública. São Paulo: Nelpa, 2015.

Publicado
2017-08-01
Como Citar
Sena, R., & Marinho, C. (2017). As Áreas de Risco de Desastres nos Bairros Mucuripe e Manoel Dias Branco:. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 7(19), 131-149. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2017.7.19.644
Seção
Artigos