Minha casa é aqui! Percepções dos beneficiários do Minha Casa Minha Vida

Palavras-chave: política habitacional, programa minha casa minha vida, participação social, desenvolvimento sustentável das cidades

Resumo

Este artigo discute a implementação do programa Minha Casa Minha Vida em Barbalha-CE. Para tanto, usa dados relativos à dinâmica discursiva dos beneficiários dessa política e recorre ao arcabouço documental que alicerça suas ações. Nessa arena de enfrentamento, os atores expõem as dificuldades de implementação e as deficiências do processo de tomada de decisão desse programa. Devemos considerar o impacto das políticas habitacionais no desenvolvimento sustentável das cidades e a consequente ampliação das oportunidades sociais para seus habitantes, daí a relevância científica e política deste estudo de caso, de abordagem qualiquantitativa, que, valendo-se das técnicas de levantamento bibliográfico, levantamento documental e diário de campo, além da aplicação de uma entrevista semiestruturada, analisou, com foco no Conjunto Residencial Raimundo Pedro da Cruz, no Município de Barbalha, o processo de implementação de uma política habitacional que coloca em relevo as consonâncias e as dissonâncias de tal processo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Andrade, E. S. J. (2011, maio). Síntese histórica das políticas habitacionais no Brasil (1964 a 2010): avanços de antigas propostas e retorno a velhas práticas. Anais ENANPUR, 14(1), 1-20.

BRASIL. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Direito à moradia adequada. – Brasília: Coordenação Geral de Educação em SDH/PR, Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, 2013.

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. Demanda habitacional no Brasil / Caixa Econômica Federal. - Brasília: CAIXA, 2011. Disponível em http://www.caixa.gov.br/Downloads/habitacao-documentos-gerais/demanda_habitacional.pdf

Acesso em 28/07/2020

Carvalho, A. W. B., & Stephan, Í. I. C. (2016). Eficácia social do programa Minha Casa Minha Vida: discussão conceitual e reflexão a partir de um caso empírico. Cadernos Metrópole, 18(35), 283-307.

Carvalho, J. M. (1987). Os bestializados. São Paulo, SP: Companhia das Letras.

Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. (1988). Brasília, DF.

Emenda Constitucional n. 90, de 15 de setembro de 2015. (2015). Dá nova redação ao art. 6º da Constituição Federal, para introduzir o transporte como direito social. Brasília, DF.

COSTA, Beatriz Sousa; VENÂNCIO, Stephanie Rodrigues. (2016). A função social da cidade e o direito à moradia digna como pressupostos do desenvolvimento urbano sustentável. Revista Direito Ambiental e sociedade, v. 6, n. 2, 106-136. Disponível em file:///D:/LOCAIS%20DOS%20ARQUIVOS/Downloads/3481-17523-1-PB%20(1).pdf

Acesso em 31 de julho de 2020.

Fundação João Pinheiro. (2018). Déficit habitacional no Brasil 2015. Recuperado de http://fjpdados.fjp.mg.gov.br/deficit/#:~:text=Os%20resultados%20mostram%20que,domic%C3%ADlios%20particulares%20permanentes%20e%20improvisados

Gonçalves, N. C. (2011). O fogo não está morto: engenhos de rapadura do Cariri cearense como uma referência cultural na perspectiva das políticas públicas do último quartel do século XX (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.

Holston, J. (2013). Cidadania insurgente: disjunções da democracia e da modernidade no Brasil. São Paulo, SP: Companhia das Letras.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Panorama: Brasil/Ceará/Barbalha. Recuperado de https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ce/barbalha/panorama

Lei n. 11.977, de 7 de julho de 2009. (2009). Dispõe sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida – PMCMV e a regularização fundiária de assentamentos localizados em áreas urbanas; altera o Decreto-Lei n. 3.365, de 21 de junho de 1941, as Leis ns. 4.380, de 21 de agosto de 1964, 6.015, de 31 de dezembro de 1973, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 10.257, de 10 de julho de 2001, e a Medida Provisória n. 2.197-43, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília, DF.

Lei Complementar Estadual n. 78, de 26 junho de 2009. (2009). Dispõe sobre a criação da Região Metropolitana do Cariri, cria o Conselho de Desenvolvimento e Integração e o Fundo de Desenvolvimento e Integração da Região Metropolitana do Cariri – FDMC, altera a composição de microrregiões do Estado do Ceará e dá outras providências. Fortaleza, CE.

Menezes, V. M. O. (2015). Percepções de beneficiários sobre a efetividade do programa Minha Casa Minha Vida. Revista de Ciências Humanas, 49(1), 145-164.

Neves, F.C. (1995). Curral dos Bárbaros: os Campos de Concentração no. Ceará (1915 e 1932). Revista Brasileira de História, 15 (29), 93-122.

Pagani, E. B. S. (2013). Território, desigualdade e cidadania: o programa Minha Casa, Minha Vida em Londrina. Serviço Social em Revista, 16(1), 89-113.

Pessoa, T. M. (2016). Implantação do programa Minha Casa Minha Vida nos municípios de Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha: arranjos institucionais e condições de inserção urbana (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE.

Rangel, J. A., & Montoia, G. R. M. (2015, maio). O programa Minha Casa Minha Vida nas pequenas cidades da Amazônia: a dicotomia entre as políticas públicas e a realidade no município de Ponta de Pedras-PA. Anais ENANPUR, 16(1), 1-20.

Santos, M. (1990). São Paulo: metrópole corporativa e fragmentada. São Paulo, SP: Nobel.

Sevcenko, N. (2003). A Revolta da Vacina: mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo, SP: Scipione.

Site Miséria. (n.d.). Recuperado de https://www.miseria.com.br

SILVA, Marlon Lima da; TOURINHO, Helena Lúcia Zagury. O Banco Nacional de Habitação e o Programa Minha Casa Minha Vida: duas políticas habitacionais e uma mesma lógica locacional. Cadernos Metrópole, [S.L.], v. 17, n. 34, p. 401-417, nov. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/2236-9996.2015-3405.

WILHAN SANTIN (Londrina). Folha de São Paulo (ed.). Programa Minha Casa, Minha Vida ergue 'minicidade' isolada. 2012. Disponível em: https://m.folha.uol.com.br/cotidiano/2012/10/1172645-programa-minha-casa-minha-vida-ergue-minicidade-isolada.shtml. Acesso em: 28 jul. 2020

Publicado
2020-08-03
Como Citar
Barreto, P., & Matos, C. (2020). Minha casa é aqui! Percepções dos beneficiários do Minha Casa Minha Vida. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 10(25), 11-34. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2020.10.25.3036
Seção
Artigos