Angela de Castro Gomes:

trajetória intelectual e percursos do conceito de populismo

  • Fernando Perlatto Doutor em Sociologia pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – IESP-UERJProfessor na Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF
Palavras-chave: angela de castro gomes, populismo, trabalhismo, trajetória intelectual, instituições

Resumo

Este artigo analisa as formulações críticas elaboradas por Angela de Castro Gomes em relação ao conceito de populismo, apresentadas em sua obra A invenção do trabalhismo e em escritos posteriores. Busca-se compreender como suas experiências intelectuais em três instituições de pesquisa – Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) e Universidade Federal Fluminense (UFF) – mostraram-se fundamentais para a elaboração de suas críticas ao modelo de interpretação populista, sobretudo aos trabalhos de Francisco Weffort sobre o tema. A análise dessa trajetória institucional possibilita pensar sobre a maneira pela qual as experiências de sociabilidade e de intercâmbio de ideias em instituições intelectuais importam na formulação de  interpretações acadêmicas. Além disso, este estudo discute os principais argumentos de Angela de Castro Gomes em defesa da ideia do “pacto trabalhista” como contraposição à ideia de populismo, com o objetivo de destacar de que maneira suas análises contribuíram para repensar as relações entre Estado e classe trabalhadora no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-01-20
Como Citar
Perlatto, F. (2020). Angela de Castro Gomes:. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 10(24), 98-119. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2020.10.24.2760
Seção
Dossiê