Populism and anti-liberal thought:

Lega and M5S in the Italian context

Palavras-chave: populismo, anti-liberalismo, Itália, Lega, M5S, plebiscitarismo

Resumo

Este artigo discute como o desafio populista pode afetar, direta ou indiretamente, o funcionamento da democracia representativa e liberal. Fora da América Latina, a Itália é um dos casos mais típicos do desafi populista ao liberalismo. De fato, nas Eleições Gerais da primavera de 2018, a maioria no parlamento foi conquistada por 2 grupos populistas: a) a Lega (17,35%); e b) o MoVimento 5 Estrelas (MoVimento 5 Stelle [M5S]) (32,68%). Aqui, a principal hipótese é de que a ideologia populista deve ser abrangida pela família maior do pensamento anti-liberal. Nesse nível, a representação populista compartilha alguns pontos em comum com o fascismo. Embora a ideia de representação populista seja bem diferente daquela do fascismo, ambas se baseiam no anti-liberalismo e elas têm uma tendência intrínseca ao plebiscitarismo. Ou seja, seu foco recai sobre 2 dimensões: a) as diferenças e continuidades entre a Lega e o M5S; e b) o papel assumido pelo pensamento anti-liberal. A segunda dimensão se relaciona à ideia de representação e se divide em 2 outras camadas: a) como os populistas criam seu próprio público; e b) a remodelação institucional que eles propõem para impor a vontade do povo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-01-20
Como Citar
Adinolfi, G. (2020). Populism and anti-liberal thought:. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 10(24), 141-163. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2020.10.24.2676
Seção
Dossiê