Avaliando programas de microcrédito e economia solidária do Banco do Nordeste

  • Alcides Fernando Gussi Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP Professor associado da Universidade Federal do Ceará- UFCagussi@uol.com.br https://orcid.org/0000-0002-5510-5286
  • Raul da Fonseca Silva Thé Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Ceará - UFC https://orcid.org/0000-0002-0317-7077
Palavras-chave: políticas públicas, microcrédito, economia solidária, banco de desenvolvimento

Resumo

Duas experiências distintas no campo das microfinanças promovidas pelo Banco do Nordeste do Brasil são aqui avaliadas: (1) Programa Crediamigo, de microcrédito urbano produtivo orientado; e (2) Programa de Apoio a Projetos Produtivos Solidários (PAPPS), nos pressupostos da economia solidária. Para tanto, o enfoque etnográfico é apresentado como importante metodologia no desenvolvimento de processos avaliativos. Aponta-se para o alcance de sujeitos, relativamente, no mesmo grupo social, porém que se apresentam como públicos diferentes e recebem atenções, impactos e investimentos dispares sobre suas vidas e trajetórias, de acordo com os programas em que se inserem. Os resultados mapeiam como essas duas políticas, dialogam ao mesmo tempo em que diferem e se distanciam em foco e peso dados às dimensões econômicas, sociais e políticas no Nordeste brasileiro. À guisa de conclusão, evidencia-se a lógica seguida pelos programas; os impactos proporcionados na vida dos alcançados; e que qualidades, limites e possibilidades desses programas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-01-20
Como Citar
Gussi, A., & Thé, R. (2020). Avaliando programas de microcrédito e economia solidária do Banco do Nordeste. Conhecer: Debate Entre O Público E O Privado, 10(24), 164-178. https://doi.org/10.32335/2238-0426.2020.10.24.2071
Seção
Artigos