Oficina Virtual de Construção de Tambor Afro-brasileiro:

uma expressão decolonial e antirracista saudando nossa ancestralidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52521/19.4213

Resumo

Este artigo discute a realização da Oficina Virtual de Construção de Tambores Afrobrasileiros como um processo arte-educativo de afirmação da ancestralidade africana em nosso país, ante um cenário político em que racismo e discriminação contra o povo negro ainda se constituem práticas cotidianas. Considerando que várias formas de opressão a afrodescendentes estão na base funcional de nossa estrutura social, aspectos ligados à ideologia da miscigenação e aspectos vinculados à hegemonia do cristianismo ocidental são problematizados em relação ao racismo institucional e estrutural da sociedade brasileira. Sendo o Brasil a maior população católica e segunda população cristã do planeta, a valorização da inter-religiosidade e das experiências não hegemônicas produzidas no chão da história se tornam relevantes instrumentos a favor de oprimidos, tendo-se nos princípios da Teologia Negra um patamar referencial. A ancestralidade espiritual e musical afro-brasileira é abordada como forte afirmação deste caminho decolonial, sobre o qual os tambores em suas várias formas e linguagens são vozes poderosas.  Por fim, traz-se uma descrição do processo artesanal de construção de um rústico instrumento percussivo e de sua conversão na oficina, em tempos estranhos de isolamento e intensificação de virtualidades.

Downloads

Publicado

2021-08-31 — Atualizado em 2021-08-31