Escritos na quarentena: autoritarismo não é loucura

  • Marcílio D. Brandão

Resumo

O artigo tematiza o avanço do novo coronavírus em alguns países para, em seguida, discutir recente pronunciamento oficial do chefe do Governo Federal brasileiro que contraria as medidas de isolamento social recomendadas por diversas outras autoridades. Como hipótese, o autor postula que tal pronunciamento se relaciona com a pretensão autoritária do mandatário da República brasileira e, retomando a noção de “loucura” com que ele vem sendo tratado por muitos de seus críticos, examina sua hipótese frente a dados nacionais e internacionais que apresenta para, finalmente, concluir que autoritarismo não é loucura, mas parte de uma estratégia de centralização de poder e restrição de liberdades. Assim, o texto se propõe a alertar sobre o que postula ser um projeto autoritário do Governo Federal.

Publicado
2020-05-18