Arpilleras: socializando as artes-políticas que retratam denúncias das mulheres atingidas por barragens em territórios nordestinos

Resumo

Diante do desenvolvimentismo capitalista-patriarcal-racista, as mulheres estão entre a parcela mais invisibilizada e violentada das populações silenciadas. Nesse contexto, as mulheres do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) resgataram as arpilleras, técnica têxtil utilizada pelas chilenas como instrumento de luta político-social durante o período ditatorial militar vivido no país (1973-1990). Dessa forma, o presente artigo tem como objetivo socializar arpilleras produzidas pelas mulheres atingidas, como ferramenta para denúncia das violações de direitos às quais seus corpos e seus territórios são submetidos. Assim, através de telas políticas, as mulheres atingidas por barragens bordam a defesa pelos seus territórios e seus modos de vida, a partir dos conflitos e resistências presentes nas suas comunidades do Semiárido Nordestino.

Publicado
2020-05-18