Criatividade dentro da prisão

a ação do PCC

Autores

  • Natália Caruso Theodoro Ribeiro
  • Celina Pereira

Palavras-chave:

Criatividade Política, Organizações Criminosas, Interacionismo Simbólico, PCC, Agência

Resumo

Este artigo discute, à luz de conceitos teóricos relacionados à criatividade política, de que forma indivíduos desempoderados pelas instituições formais são capazes de promover mudanças institucionais por meio da agência humana. Para isso, investiga-se como a ação criativa desses agentes privados de liberdade, que se agrupam em organizações criminosas, é capaz de gerar alterações estruturais para além dos perímetros da prisão. A partir da análise específica da atuação do “Primeiro Comando da Capital” (PCC), o argumento central é que a ação criativa da organização se dá na produção de significados compartilhados resultantes da recombinação e da reinterpretação das regras institucionais disponíveis.

Downloads

Publicado

2019-12-13

Como Citar

RIBEIRO, N. C. T.; PEREIRA, C. Criatividade dentro da prisão: a ação do PCC. O Público e o Privado, Fortaleza, v. 17, n. 33 jan.jun, p. 167–192, 2019. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/opublicoeoprivado/article/view/2262. Acesso em: 16 abr. 2024.