Apresentação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.52521/21.11955

Resumo

.

Biografia do Autor

Francisco Elionardo de Melo Nascimento, Secretaria de Administração Penitenciária e da Ressocialização - SAP

Francisco Elionardo de Melo Nascimento é doutor em Sociologia pela Universidade Estadual do Ceará, professor da Faculdade Ieducare do Centro Universitário Uninta, policial penal da Secretaria de Administração Penitenciária e da Ressocialização do Estado do Ceará e membro do Laboratório de Estudos da Conflitualidade e Violência (Covio).  Atualmente faz estágio de p´´os-doutoramento em Sociologia na Universidade de Brasília ( UnB).Pesquisa violência urbana e conflitos sociais, processos de formação de políticas prisionais, dinâmicas do cotidiano prisional, ressocialização de apenados, processos e execução do trabalho prisional, relações de poder entre policiais penais e presos, facções criminais, sociabilidades no sistema prisional, masculinidades e polícia penal, relações sexuais e de gênero no sistema prisional, travestilidades e trajetórias.

Analía Soria Batista, Universidade de Brasília - UnB

Analía Soria Batista é especialista em Ciências Sociais na América Latina. É Master en Ciencias Sociales, Programa de Maestría en Ciencias Sociales - Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales- FLACSO, Sede Académica Argentina (1987); Doutora, Programa de Doutorado sobre Estudos Comparados em América Latina e o Caribe, FLACSO, Sede Acadêmica Brasil e Universidade de Brasília- UnB (1993). Atualmente (2006 - ) é professora Associada do Departamento de Sociologia da UnB. Professora do Programa de Pós-graduação em Sociologia e do Curso de Especialização em Segurança Pública e Cidadania do Departamento de Sociologia-SOL/UnB. Foi pesquisadora do Laboratório de Psicologia do Trabalho - LPT (1997-2005) do Departamento de Psicologia Social e do Trabalho- PST do Instituto de Psicologia- IP da UnB. Atualmente é pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre Violência e Segurança- NEVIS. Participa do grupo de pesquisa Transformações do Mundo do Trabalho (SOL/UnB) e Violência, Cidadania e Segurança (SOL/UnB). Tem experiência nas áreas de Segurança Publica, Sociologia do Trabalho, Psicologia do Trabalho e Métodos e Técnicas de Pesquisa Qualitativa. As pesquisas sobre Segurança Publica tem focado no sistema prisional e nos homicidios. As pesquisas sobre trabalho tem privilegiado os seguintes temas: trabalho e afetividades, demandas emocionais do trabalho, sofrimento psíquico, assedio moral , preconceito e discriminação, violência , treinamento e formação profissional. As categorias estudadas tem sido: metalúrgicos; professores/as; auxiliares administrativos/as; fiscais do trabalho; agentes penitenciários/as; detentos, policiais; profissionais de odontologia, cuidadores/as de pessoas idosas, guardas municipais, guardas patrimonias, sepultadores e paramentadores, entre outros

Referências

BARBOSA, Antonio Rafael. Prender e dar fuga: biopolítica, sistema penitenciário e tráfico de drogas no Rio de Janeiro. Tese de Doutorado em Antropologia Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Nacional, Rio de Janeiro, 2005.

BANDEIRA, Lourdes; BATISTA, Analia Soria. “Trajetórias Profissionais e carreira dos agentes penitenciários: Distrito Federal e Goiás”. In: SANTOS, J. V. T (org.). Subsídios para construção de um novo fazer segurança pública. Brasília: SENASP, 2009, p. 255-286.

BEATO, Claudio et al. Percepções Sociais sobre o Sistema Prisional Brasileiro: um estudo quantitativo. Revista Brasileira de Execução Penal-RBEP, v. 1, n. 1, p. 279-305, 2020.

BEZERRA, Sergiana de Sousa. Saúde e trabalho de agentes penitenciários do Instituto Psiquiátrico Governador Stênio Gomes. Dissertação de Mestrado em Sociologia, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2018.

BIONDI, Karina. Junto e misturado: uma etnografia do PCC. São Paulo: Terceiro Nome, 2010.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 104, de 4 de dezembro de 2019. Brasília, DF: Congresso Nacional, 2019. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc104.htm. Acesso: 19 jan. 2020.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CRIMINAL E PENITENCIÁRIA – CNPCP. Resolução nº- 09, 2009. Publicada no DOU de 16 de novembro de 2009 – Seção 1 – p. 54.

DEPEN. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. Departamento Penitenciário Nacional. Brasília, DF, 2022. Disponível em: http://dados.mj.gov.br/dataset/infopen-levantamento-nacional-de-informacoes-penitenciarias. Acesso em: 12 abr. 2022.

CAITANO, Déris Oliveira; SERVA, Maurício. No limite da razão: o deliberar e a phrónesis no trabalho prisional. Cad. EBAPE. BR, 18 (Edição Especial), p. 821-835, 2020.

CASTRO E SILVA, Anderson Morais. Participo que... Desvelando a punição intramuros. Rio de Janeiro: Publit, 2011.

CANDOTTI, Fabio. ‘Quando a massa erra, o estado avança’: notas sobre transformações carcerárias e criminais em Manaus (Amazonas). REVISTA TOMO, v. 40, p. 197-241, 2022.

CHIES, Luiz Antônio Bago et al. “Prisionalização e sofrimento dos Agentes Penitenciários: fragmentos de uma pesquisa”. Revista Brasileira de Ciências Criminais, n. 5, p. 309-335, 2005.

CRUZ, Marcus Vinicius Gonçalves da; BATTITUCI, Eduardo C.; FÉLIX-SILVA, Sérgio; SOUZA, Letícia. G. “Agente Penitenciário: em busca da identidade? notas de pesquisa no sistema prisional de Minas Gerais”. In: Anais do 37° Encontro Anual da ANPOCS, Águas de Lindóia, 2013.

DIAS, Camila Caldeira Nunes; SILVA, Vanessa Ramos da. “O estado brasileiro vai ter quem manda dentro dos presídios”: análise do discurso de senadores na votação da PEC da Polícia Penal. Lua Nova, São Paulo, n.115, p. 81-122, 2022.

FELTRAN, Gabriel. Irmãos: uma história do PCC. São Paulo: Companhia da Letras, 2018.

FIGUEIRÓ, Rafael de Albuquerque; DIMENSTEIN, Magda. Controle a Céu Aberto: Medo e Processos de Subjetivação no Cotidiano de Agentes Penitenciários. Ciência e Profissão, v. 38, n.2, p. 131-143, 2018.

GENEST, Christine; RICCIARDELLI, Rosemary; CARLETON, R. Nicholas. Correctional Work: Reflections Regarding Suicide. Int. J. Environ. Res. Public Health, vol. 18, n. 8, pp.1-10, 2021.

JASKOWIAKI, C. R. & FONTANAL, R. T. O trabalho no cárcere: reflexões acerca da saúde do agente penitenciário. Rev Bras Enferm., 68 (2), P. 235-43, 2015.

JESUS, Sara Rodrigues de; FELIPPE, Andreia Monteiro; SILVA, Yury Vasconcellos da. Vulnerabilidade ao Estresse entre Agentes de Segurança Penitenciários. Psicol Ciência e Profissão, v. 41, p. 1–18, 2021.

KAUFFMAN, Kelsey. “Prison officers’ attitudes and perceptions of attitudes: A case of pluralistic ignorance”. Journal of Research in Crime and Delinquency, vol. 18, n. 2, pp. 272-294, 1981.

LESSING, Benjamin ‘Criminal Governance in Latin America in Comparative Perspective: Introduction to the Special Edition’. Dilemas, Rev. Estud. Conflito Controle Soc., Edição Especial n. 4, p. 11-20, 2022.

LOURENÇO, Luiz Claudio; ALVAREZ, Marcos César. “Estudos sobre prisão: um balanço de estado da arte nas ciências sociais nos últimos vinte anos no Brasil (1997-2017)”. BIB, vol. 84, n. 2, p. 216- 236, 2017.

LOURENÇO, Luiz Claudio. “Batendo a tranca: Impactos do encarceramento em agentes penitenciários da Região Metropolitana de Belo Horizonte”. Dilemas, Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, vol. 10, n. 3, pp. 11-31, 2010.

LOURENÇO, Arlindo da Silva. O espaço de vida do agente de segurança penitenciária no cárcere. Curitiba: Juruá, 2011.

LIMA, Ana Izabel Oliveira et al. Prevalência de Transtornos Mentais Comuns e Uso de Álcool e Drogas entre Agentes Penitenciários. Psic.: Teor. e Pesq., Brasília, v. 35 (e3555), 2019.

MARQUES, Adalton. Humanizar e expandir: uma genealogia da segurança pública em São Paulo. São Paulo: IBCCRIM, 2018.

MANSO, Bruno Paes; DIAS, Camila Nunes. A Guerra: a ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil. São Paulo: Todavia, 2018.

MELO, Juliana Gonçalves; AMARANTE, Natália Firmino do. O massacre de Alcaçuz, o fortalecimento e a disputa de territórios por coletivos criminosos em Natal, RN. O PÚBLICO E O PRIVADO, v. 33, p. 1-22, 2019.

MORAES, Pedro Bodê. Punição, encarceramento e construção de identidade profissional entre agentes penitenciários. São Paulo: IBCCRIM, 2005.

MORAES, Pedro Bodê. “A identidade e o papel de agentes penitenciários”. Tempo Social: Revista de Sociologia da USP, vol. 25, n.1, pp. 131-147, 2013.

MOREIRA, Hélio Luiz F. “Agente não é gente: trabalho e sofrimento no contexto da penitenciária estadual de Parnamirim/RN”. In: PINHEIRO, J; FLIGUER, J. (Orgs). Criminología y Ciências Penales. Buenos Aires: UCES, 2018, p. 82-99.

MONTEIRO, Letícia Chaves. Tornar-se Agente Penitenciário: entre os significados, a vulnerabilidade e o poder. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018.

NASCIMENTO, Francisco Elionardo de Melo Nascimento. De carcereiro a policial penal: Entre nomenclaturas, imagem social e atribuições. Dilemas, Rev. Estud. Conflito Controle Soc. v.15, n. 3, p. 883-910, 2022.

NASCIMENTO, Francisco Elionardo de Melo Nascimento. “Pesquisa e trabalho no cárcere: desafios da pesquisa e do trabalho dos agentes penitenciários na prisão”. Vivência: Revista de Antropologia, v. 1, n. 51, p. 180-201, 2018.

NASCIMENTO, Francisco Elionardo de Melo Nascimento. Agente penitenciário e/ou pesquisador? Trabalho e pesquisa na prisão

desde um lugar relacional. Revista Norus: Novos Rumos Sociológicos, v. 6, n.10, p. 304-327, 2018a.

NASCIMENTO, Francisco Elionardo de Melo; FREITAS, Geovani Jacó de. Facções, rebeliões, violência e gestão do aprisionamento no Ceará. O público e o privado, n. 33, p. 143-166, jan/jun. 2019.

NASCIMENTO, Francisco Elionardo de Melo; FREITAS, Geovani Jacó de. Fronteiras de guerra: gestão da vida e processos de Estado nas fronteiras entre policiais penais e presos. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2021.

NASCIMENTO, Francisco Elionardo de Melo; SIQUEIRA, Ítalo Barbosa Lima. “Dinâmicas faccionais e políticas estatais entre o dentro e fora das prisões do Ceará”. Tomo, n. 40, jan-jun, p. 123-164, 2022.

OLIVEIRA, Victor Neiva. “Mudanças na administração prisional: Os agentes penitenciários e a construção da ordem nas prisões de Minas Gerais”. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, vol. 11, n. 3, p. 412-434, 2018.

RIBEIRO, Ludmila Mendonça Lopes; OLIVEIRA, Victor Neiva e; CREPALDE, Neylson; BASTOS, Luiza Meira; MAIA, Yolanda Campos. Agentes penitenciários aprisionados em suas redes?. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 34, n. 101, p. 01-25, 2019.

ROSEIRA, Ana Pereira. A Porta da Prisão: uma história dos meios de segurança e coerção penal na perspectiva dos guardas prisionais portugueses (1974-2014). Tese (Doutorado em Linguagens e Heterodoxias) – Universidade de Coimbra, Coimbra, 2018.

RODRIGUES, Fernando et al. Apresentação do Dossiê: Políticas, Mercados e Violência no Norte e Nordeste do Brasil. Revista TOMO, n. 40, p. 9-38, 2022.

SABAINI, Raphael. Agentes penitenciários de Itirapina, SP: identidade e hierarquia, Ponto Urbe, n. 5, 2009. Disponível em http://journals.openedition.org/pontourbe/1495. Acesso em 05 de out. 2020.

SANTIAGO, Eneida et al. O sentimento de medo no cotidiano de trabalho na vigilância prisional e seus impactos sobre a subjetividade dos agentes penitenciários. Cadernos de psicologia social do trabalho, v.19, n.2, São Paulo, pp.161-175, 2016.

STICHMAN, Jill: GORDON, Amy. A preliminary investigation of the effect of correctional officers’ bases of power on their fear and risk of victimization. Journal of Crime and justice, v. 38, n. 4, 2015.

SIQUEIRA, Ítalo Barbosa Lima; NASCIMENTO, Francisco Elionardo de Melo; Moraes, Suiany Silva de. 2022. Dinâmicas inter-regionais de mercados e governança criminal em perspectiva comparada entre Fortaleza e Manaus. Dilemas, Rev. Estud. Conflito Controle Soc., Edição Especial (4):441-468.

SORIA BATISTA, Analía et al. Das negociações com as facções à afirmação do monopólio da violência do Estado nas prisões: preços a serem pagos. Ciências Sociais Unissinos, v. 58, n. 2, p. 143-155, mai./ago. 2022.

TOMPSON, Augusto. A questão penitenciária. 3ed. Rio de Janeiro: Forense, 1991.

TAETS, Adriana Rezende Faria. “Em Trânsito: o Cotidiano de Algumas Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo”. Mediações - Revista de Ciências Sociais, v. 18, p. 246-259, 2013.

VASCONCELOS, Ana Silvia Furtado. A saúde sob custódia: um estudo sobre agentes de segurança penitenciária no Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2000.

Downloads

Publicado

2023-12-15

Como Citar

NASCIMENTO, F. E. de M.; SORIA BATISTA, A. Apresentação. O Público e o Privado, Fortaleza, v. 21, n. 45, p. 6–16, 2023. DOI: 10.52521/21.11955. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/opublicoeoprivado/article/view/11955. Acesso em: 17 jul. 2024.