O Trabalho de (RE)Orientação da Gestão Pedagógica no Contexto da EEM Governador Adauto Bezerra

Autores

  • Karine Lima Verde Peixoto Mestre em Planejamento em Políticas Publicas pela Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Antônio Germano Magalhães Júnior Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará - UFC e Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UECE

DOI:

https://doi.org/10.47455/2675-0090.2021.3.7.8318

Palavras-chave:

resultados educacionais, escola, avaliação, gestão

Resumo

Os processos avaliativos e a gestão escolar são temáticas corriqueiras nos debates sobre educação no Brasil. O estudo objetivou responder: como o resultados do SPAECE e o Enem nos 3° anos são utilizados para (re)orientar o trabalho da gestão de uma escola? Essa pergunta está limitada ao contexto de uma escola, situada em Fortaleza-Ceará, a partir de 2012-2018, tornando-se campo desta pesquisa. Adotamos como metodologia o estudo de caso único e a abordagem da pesquisa quanti-qualitativa. Para a fundamentação teórica da pesquisa, utilizamos: Luckesi (2004), Bresser-Pereira (2001); Bonamino e Franco (1999), Paro (2001; 2018), Vidal e Vieira (2011; 2016;), além de dados coletados em sites governamentais, legislações estaduais e federais e documentos oficiais disponibilizados pela escola. Os resultados constatados indicam que objetivo principal do trabalho pedagógico está centrado na aprovação dos alunos no ensino superior; para isso, ele valoriza os resultados obtidos através do Enem, desconsiderando o SPAECE, visto como uma conquista colateral, associando responsabilização com prestação de contas e capacidade de respostas.Por fim, constatou-se que o fortalecimento da visão cidadã é consolidado por experiências colaborativo-agregadoras que provocam o protagonismo juvenil na sistematização dos conhecimentos, dos pensamentos e dos conceitos.

Referências

AMAURY, PatryckGrenaudet al., Avaliação continuada: apropriação e utilização dos resultados. Juiz de Fora: FADEPE, 2009.

BAUMAN, Zigmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Zorge Zahar Editor, 2004.

BONAMINO, Alícia; FRANCO, Creso. Avaliação e Política Educacional: O Processo de Institucionalização do Saeb. Cadernos de Pesquisa, Rio de Janeiro, v. 1, n. 108, p.101-132, nov. 1999.

BOORDIEU, Pierre. Escritos de educação. 9 ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

______. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Orgs.). Escritos de educação. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999, p. 71-79. Disponível em: . Acesso em: 05 jul. 2018.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean-Claude. Os Herdeiros: os estudantes e a cultura. Tradução de Ione Ribeiro Valle e Nilton Valle. Florianópolis: Editora da UFSC, 2014.

______. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Tradução de Reynaldo Bairão. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 05 out. 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm> Acesso em: 01 fev. 2018.

______. Lei n°. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Aprova as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 dez.1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm>. Acesso: 03 nov. 2018.

BRESSER PEREIRA, Luis Carlos. Do Estado patrimonial ao gerencial. In: SACHS, I; WILHEIM, J.; PINHEIRO, P. (orgs). Brasil: um século de transformações. São Paulo: Companhia das Letras, 2001. p. 222-259.

BROOKE, Nigel; CUNHA, Maria Amália de A.. A avaliação externa como instrumento da gestão educacional nos estados. Estudos & Pesquisas Educacionais – Fundação Victor Civita, São Paulo, p.17-79, 11 ago. 2011. Disponível em: <http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/pdf/avaliacao_externa_fvc.pdf>. Acesso em: 08 abr. 2018.

CANÁRIO, Rui. A escola como construção histórica . In: O que é a escola? Um olhar sociológico. Porto: Editora Porto, 2005. Capítulo 5:pp.59-88.

CEARÁ. Lei n.º 16.025, de 30 de maio de 2016. Dispõe sobre o Plano Estadual de Educação (2016/2024), Diário Oficial do Estado do Ceará, Fortaleza, CE, 01 jun. 2016. Disponível em: <http://www.mpce.mp.br/wp-content/uploads/2016/02/20170020-LEI-16025-2016.pdf> Acesso em: 14 ago. 2018.

______. Secretaria da Educação Básica. Todos pela Educação de Qualidade para Todos. 1995/1998. (Série Educação Ceará).

______. Secretaria da Educação Básica. Disponível em:<http://www.seduc.ce.gov.br/index.php/mapas?id=8566:enem-chego-junto-chego-bem> . Acesso em: 15 ago. 2018.

ENGUITA, Mariano Fernández. A face oculta da escola: educação e trabalho no capitalismo. Porto Alegre: Artes Médicas, 1989.

ESCOBAR, Michele Ortega. Transformação da didática: construção da teoria pedagógica como categorias da prática: experiência na disciplina escolar educação física. Tese de Doutoramento em Educação, Departamento de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 1997.

FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 15. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREITAS, L.V.; FREITAS, C.V. Aprendizagem Cooperativa. Porto: Edições Asa, 2003.

FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A gênese do Decreto n. 5154/2004: um debate no contexto controverso da democracia restrita. In: ______. Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005. p. 21-56.

GATTI, Bernadete Angelina. Avaliação: Contexto, História e Perspectivas. Olh@res- Fundação Carlos Chagas, Garulhos, v. 2, n. 1, p.8-26, maio 2014. Anual. Disponível em: <http://www.olhares.unifesp.br/index.php/olhares/article/view/202/76>. Acesso em: 10 set. 2018.

KOZELSKI, Adriana Cristina. Professor: uma carreira em extinção ou falta de motivação?.Revista Intersaberes, Curitiba, v. 9, n. 17, p.178-188, jan. 2014. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2018.

LIMA, Aléssio Costa. O Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Estado do Ceará (SPAECE) como expressão da política pública de avaliação educacional do estado. 2007. 262 p. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Políticas Públicas) - Centro de Educação, Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Recife, 2007.

LÜCK, Heloísa. Gestão participativa na escola. Petrópolis: Vozes, 2006.

LUCKESI, C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez, 2000.

______. Considerações gerais sobre avaliação no cotidiano escolar. Curitiba, PR: Editora Gráfica Expoente, 2004.

MAGALHÃES JÚNIOR, Antônio Germano; LIMA, Diva; FARIAS, Maria Adalgiza de. Política de avaliação educacional no estado do Ceará: histórico dos programas de avaliação da Secretaria de Educação Básica do Ceará (SEDUC). Tópicos Educacionais: Centro de Educação, Recife, v. 19, n. 2, p.54-75, jul. 2013. Semestral.

MARTINS, Rosilene Maria Sólon Fernandes. Direito á Educação: aspectos legais e constitucionais. Rio de Janeiro: Letra Legal, 2004.

MENDÉZ, Juan Manuel Álvarez. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Porto Alegre: Artmed Editora, 2002.

MOREIRA, M. A. Teorias de Aprendizagem. São Paulo: EPU, 2011.

OLIVEIRA, Romualdo P. de. Da universalização do ensino fundamental ao desafio da qualidade: uma análise histórica. Educação & Sociedade, v. 28, n. 100, p. 965-987, 2007.

OUTEIRAL, J.; CEREZER, C. O mal-estar na escola. Rio O mal-estar na escola de Janeiro: Revinter, 2003.

PARO, V. H. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã, 2001.

______. Administração escolar introdução crítica. 17 ed. São Paulo: Cortez Editora, 2018.

PINHO, J.A.G.; SACRAMENTO, A.R.S. Accountability: já podemos traduzi-la para o português? Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 43, n. 6, p.1343-1368, nov/dez. 2009.

SOARES, S.; SÁTYRO, N.: O impacto de infraestrutura escolar na taxa de distorção idade-série das escolas brasileiras de ensino fundamental: 1998 a 2005. Brasília: Ministério da Educação, 2008.

SOUZA, C. B. R. Disfuncionalidade escolar: uma análise teórica de identificação dos fatores que afetam o desempenho das escolas no Brasil. Porto Alegre: UFRGS, 2014.

VIDAL, Eloísa Maia; VIEIRA, Sofia Lerche (Orgs.). Políticas de Ensino Médio no Ceará: escola, juventude e território. Fortaleza: Cenpec, 2016. 186 p.

______. Bons resultados no Ideb: um estudo exploratório de fatores explicativos- estudo de caso em 10 munícipios do Ceará (Aratuba, Boa Viagem, Catunda, Ipu, Jijoca de Jericoacoara, Martinópole, Mucambo, São Gonçalo do Amarante, Sobral). Relatório de pesquisa. Observatório da Educação CAPES. INEP. 2011.

VIEIRA, Sofia Lerche. Política(s) e Gestão da Educação Básica: revisitando conceitos simples. RBPAE – v.23, n.1, p. 53-69, jan./abr. 2007.

ZIBAS, Dagmar M. L. A reforma do ensino médio nos anos de 1990: o parto da montanha e as novas perspectivas. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, n. 28, p. 24-36, abr. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-24782005000100003&script=sci_abstract&tlng=es>. Acesso em: 08 ago. 2018.

Downloads

Publicado

2021-01-04

Como Citar

Peixoto, K. L. V. ., & Magalhães Júnior, A. G. . (2021). O Trabalho de (RE)Orientação da Gestão Pedagógica no Contexto da EEM Governador Adauto Bezerra. Inovação &Amp; Tecnologia Social, 3(7), 98–114. https://doi.org/10.47455/2675-0090.2021.3.7.8318

Edição

Seção

Artigos