As Juventudes e a Educação Profissional no Ceará:

um estudo de caso na EEEP Presidente Roosevelt

Autores

  • João Gutemberg Nobre Simplício Mestre em Planejamento em Políticas Publicas pela Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Jeannette Filomeno Pouchain Ramos Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará - UEC e Professora do Instituto de Humanidade e Letras (IHL) da UNILAB

DOI:

https://doi.org/10.47455/2675-0090.2020.2.6.7746

Palavras-chave:

ensino médio, educação professional, educação integral, juventudes

Resumo

Neste artigo apresentamos algumas reflexões sobre a formação educacional de tempo integral como Política Pública, no Estado do Ceará, na EEEP Presidente Roosevelt, e as experiências das juventudes, enquanto cidadãos e agentes sociais ativos no processo de formação educacional. Apontamos que os jovens percebem a qualidade do ensino desenvolvido na referida EEEP, concebendo uma formação para além da técnica. Embora envoltos em mais uma crise estrutural do Sistema Capitalista, em que a situação do desemprego atinge os trabalhadores e reestrutura as relações trabalhistas, os jovens buscam afirmar-se e encontrar caminhos para conquistarem o seu espaço. A escola, na óptica desses jovens, desempenha um papel fundamental no processo.

Referências

ALENCAR, Antônio Idilvan lima. e LIMA, Vagna Brito de. O Ensino Médio entre consensos e dissensos nas Políticas Educacionais: um olhar sobre a educação cearense. In: Educação em pauta: uma agenda para o país. Brasília: Athalaia, 2018.

______. A política de educação Profissional do Ceará na perspectiva da responsabilidade social.2015. 110f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação/CAEd. Programa de Pós-Graduação em Gestão e Avaliação da Educação Pública. Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2015. Disponivel em: <http://www.mestrado.caedufjf.net/a-politica-de-educacao-profissional-doestado-do-ceara-na-perspectiva-da-responsabilidade-social/>. Acesso em: 13 abr.2018.

ARAÚJO, Adilson Cesar; SILVA, Cláudio Nei Nascimento da. Ensino Médio Integrado: uma formação humana para uma sociedade humana. In: Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed.IFB, 2017.

AZEVEDO, José Clóvis de. Política educacional e politécnica: a experiência do Rio Grande do Sul.In: Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed.IFB, 2017.

BARBOSA, Regina Marcia; ALOFORADO, Joaquim Luís Medeiros. Possibilidades e expectativas sobre a educação profissional: uma aproximação entre realidades observadas no Brasil e em Portugal. Crítica e Educativa, Sorocaba, v.3,n.3, p.245-262, 2017. Disponível em: <http://www.criticaeducativa.ufscar.br/index.php/criticaeducativa/article/view/278>. Acesso em: 21 fev.2019.

BEZERRA, Fábio Aparecido Martins. Institutos Federais: inovação, contradições e ameaças em sua curta trajetória. In: Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed.IFB, 2017.

BERNARDIM, Márcio Luiz. Ensino médio e educação profissional: quem são e que sentido dão à escola os alunos da oferta noturna. In: Juventude e ensino médio: sentidos e significados da experiência escolar. Curitiba : UFPR/Setor de Educação, 2016.

BRASIL. Ministério Da Educação. Programa de Integração da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado ao Ensino Médio - Documento Base 2007. Brasília: MEC, 2007.Disponível em: . Acesso em: 22 maio 2017.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Ensino Médio Inovador-Documento Orientador. Brasília: MEC/SEF, 2016. Disponível em: . Acesso em:22 maio 2017.

______. Lei 9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 dez.1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 22 maio 2017.

______. Competências, conhecimentos e valores na concepção curricular do novo ensino médio. Brasília: MEC, 2017. Disponível em:. Acesso em:22 maio 2017.

______. Diretrizes curriculares nacionais para a Educação Profissional de nível técnico. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: .

Acesso em 22 maio 2017.

______. Decreto 2.208/1997. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1997. Disponível em portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/documento_base.pdf. Acesso em 22 de mai. de 2017.

______. Decreto Nº 5.154, de 23 de julho de 2004.Regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a. 41 da Lei nº 9.394. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 jul. 2004. Disponível em: .Acesso em:22 maio 2017.

_______. Subsídios para o processo de discussão da proposta de anteprojeto de lei da educação profissional e tecnológica. Brasília: MEC, 2004. Disponível em: . Acesso em: 25 jun.2017.

______ Constituição Dos Estados Unidos Do Brasilde 10 de novembro de 1937. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 10 nov. 1937. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao37.htm>. Acesso em: 18 jul. 2017.

CEARÁ. Plano integrado de educação profissional e tecnológica do Estado do Ceará. Brasília: ESMEC, 2017. Disponível em: <http://esmec.tjce.jus.br/wp-content/uploads/2010/09/pi_educacao_profissional.pdf>. Acesso em: 10 jul.2017.

______. Lei Nº 14.273, De 19 De Dezembro De 2008. Dispõe sobre a criação das Escolas Estaduais de Educação Profissional – EEEP, no âmbito da Secretaria da Educação, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Ceará, Fortaleza, CE, 2008. série 2, Ano 11, n.245, p.23.

______Secretaria da Educação. Relatório de Gestão: o pensar e o fazer da educação profissional no Ceará 2008-2014. Fortaleza: SEDUC-CE, 2014. Disponível em: < http://www.educacaoprofissional.seduc.ce.gov.br/images/relatorio_de_gestao_2008_2014/re latorio_de_gestao_2008_a_2014.pdf>. Acesso em: 12 maio 2018.

______. Portaria nº1305 de 20 de novembro de 2018. Dispõe do processo de matrículas na rede estadual de ensino para o ano letivo de 2019. Diário Oficial do Estado do Ceará, Fortaleza, 2018, série 3, ano 10, n.216.

CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. Ensino Médio e Educação Profissional no Brasil: dualidade e fragmentação. Retratos da Escola, Brasília, v. 5, n. 8, p. 27-40, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://www.cnte.org.br/images/stories/retratos_da_escola/retratos_da_escola_08_2011.pdf>. Acesso em: 10 fev. 2018.

CORROCHANO. Maria Carla. Jovens no Ensino Médio: qual o lugar do trabalho? In: DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares. Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: EdUFMG, 2014.

CORTI, Ana Paula. Ser aluno: um olhar sobre a construção social deste ofício. In: DAYRELL, Juarez ; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares. Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: EdUFMG, 2014.

DAYRELL, Juarez ; CARRANO, Paulo. Juventude e Ensino Médio: quem é este aluno que chega à escola. In:DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares. Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: EdUFMG, 2014.

______. O jovem como sujeito social. In: Juventude e contemporaneidade. Brasília: UNESCO, MEC, ANPEd, 2007.

______. Juventudes contemporâneas: um mosaico de possibilidades. Belo Horizonte: Ed. PUC Minas, 2011.

DIÓGENES, Glória Maria dos Santos. Cartografias da cultura e da violência: gangues, galeras e o movimento hip hop. 1998. 143 f.Tese (Doutorado em Sociologia) - Centro de Humanidades. Departamento de Ciências Sociais. Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, 1998. Disponível em: <http://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/4060/1/1998_Tese_GMSDiogenes.pdf>. Acesso em: 25 fev.2019.

DOUTOR, Catarina. Um olhar sociológico sobre os conceitos de juventude e de práticas culturais: perspectivas e reflexões. Última década, Santiago, v. 24, n. 45, p. 159-174, dez. 2016. Disponível em: <https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S071822362016000200009&lng=es&nrm=iso>. Acesso em: 10 out.2018.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. Ensino médio integrado: concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2012.

______. A política de Educação Profissional no Governo Lula: um percurso histórico controvertido. Educação e Sociedade, Campinas, v. 26, n.12, p. 1087-1113, 2005.Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302005000300017&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 16 ago.2018.

______. A formação do cidadão produtivo: a cultura de mercado no ensino médio técnico. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2006.

______. Educação e trabalho: bases para debater a educação profissional emancipadora. Perspectiva, Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 71-87, jan. 2001. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/8463>. Acesso em: 10 fev. 2019.

______, CIAVATTA, M.; RAMOS, M. O trabalho como princípio educativo no projeto de educação integral de trabalhadores. In: COSTA, H.; CONCEIÇÃO, M. Educação integral e sistema de reconhecimento e certificação educacional e profissional. São Paulo:CUT, 2005.

GADOTTI, Moacir. Educação Integral no Brasil: inovações em processo.São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2009.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar. Rio de Janeiro: Record, 2004.

GUARÁ, Isa Maria F. Rosa. É imprescindível educar integralmente. Cadernos Cenpec, Nova série, v. 1, n. 2, p.33-37, ago. 2006. Disponível em: <http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/168>. Acesso em: 10 jun. 2019.

GUIMARÃES, Iza Manuella Aires Cotrim. KING, Jamylle Rebouças Ouverney . Por dentro do sistema educacional finlandês: elementos para se repensar o Ensino Médio Integrado no Brasil. In: Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed. IFB, 2017.

GRABOWSKI, Gabriel; KUENZER, Acácia Zeneida. A produção do conhecimento no campo da Educação profissional no Regime de Acumulação Flexível. HOLOS, v. 6, p. 22-32, out. 2016. Disponível em: <http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/4983>. Acesso em: 06 ago. 2018.

GROPPO, Luís Antonio. Juventudes e políticas públicas: comentários sobre as concepções sociológicas de juventude. Desidades, Rio de Janeiro, v. 14, p. 9-17, mar. 2017. Disponível em:<http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2318-92822017000100002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 16 out. 2018.

______. Teorias críticas da juventude: geração, moratória social e subculturas juvenis. Em Tese, Florianópolis, v. 12, n. 1, p.22-28, jan./jul., 2015. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/emtese/issue/view/2289>.Acesso em: 18 out.2018.

______. Dialética das juventudes modernas e contemporâneas. Revista Brasileira de Educação, v.7, n.24, p.22-28, set./dez., 2003. Disponível em: <https://www.redemetodista.edu.br/revistas/revistascogeime/index.php/COGEIME/article/view/629>. Acesso em: 19 jan. 2019.

______. Condição juvenil e modelos contemporâneos de análise sociológica das juventudes. Última década, Santiago, v. 18, n. 33, p. 11-26, dez. 2010. Disponível em:<https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S071822362010000200002&lng=es&nrm=iso>. Acesso em: 10 fev.2019.

______. Sentidos de juventude na Sociologia e nas políticas Públicas do Brasil contemporâneo. Revista de Políticas Públicas, São Luís, v. 20, n 1, p. 383-402, jan./jun. 2016. Disponível em: <http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rppublica/article/view/50 62>. Acesso em: 20 mar. 2019.

GROSBAUM, Marta Wolak; FALSARELLA, Ana Maria. Condição jovem: juventude e ensino médio no Brasil. Cadernos Cenpec - Nova série, v. 6, n. 2, p.10-22, jun. 2017. Disponível em: <http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/36 8>. Acesso em: 16 mar. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Senso 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: <https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?dados=12>. Acesso em: 20 ago. 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP. Censo Escolar. Brasília:INEP, 2010. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

______Censo Escolar. Brasília: INEP,2011. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

______Censo Escolar. Brasília: INEP,2012. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

______Censo Escolar. Brasília: INEP, 2013. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

______Censo Escolar. Brasília: INEP, 2014. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

______Censo Escolar. Brasília: INEP, 2015. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

______Censo Escolar. Brasília: INEP, 2016. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

______Censo Escolar. Brasília: INEP,2017. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

______Censo Escolar. Brasília: INEP, 2018. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/indicadores-educacionais>. Acesso em: 15 jul. 2019.

JOHNSON, Allan G. Dicionário de Sociologia: guia prático da linguagem sociológica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

KUENZER, Acácia Zeneida. O Ensino Médio agora é para a vida. Educação & Sociedade, Campinas, v.21, n.70, p.15-39, 2000.

______. A educação profissional nos anos 2000: a dimensão subordinada das políticas de inclusão. Educ. Soc., v.27, n.96, p.877-910, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302006000300012&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 04 jun. 2018.

______; GRABOWSKI, Gabriel. Educação Profissional: desafios para a construção de um projeto para os que vivem do trabalho. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 297-318, abr. 2006. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/10762>. Acesso em: 04 set. 2018.

KRAWCZYK, Nora. Uma roda de conversa sobre os desafios do Ensino Médio. In: DAYRELL, Juarez ; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares. Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: EdUFMG, 2014.

LEAO, Geraldo; DAYRELL, Juarez Tarcísio; REIS, Juliana Batista dos. Jovens olhares sobre a escola do ensino médio. Cad. CEDES, Campinas, v. 31, n. 84, p. 253-273, ago. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010132622011000200006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 15 fev. 2019.

¬¬¬______ Juventude, projetos de vida e ensino médio. Educ. Soc., Campinas, v.32, n. 117, p. 1067-1084, dez. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010173302011000400010&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 21 mar. 2019.

LIMA, Ana Léa Bastos. Escolas estaduais de educação profissional: a experiência de ensino médio integrado à educação profissional no Ceará a partir de 2008. 2014. 156 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2014. Disponível em: <http://www.mestrado.caedufjf.net/escolasestaduais-de-educacao-profissional-a-experiencia-de-ensino-mediointegrado-a-educacao-profissional-no-ceara-a-partir-de-2008/>. Acesso em: 16 maio 2018.

LINHARES, Naedja Pinheiro Rodrigues. Escolas estaduais de educação profissional do Ceará: uma reflexão sobre o modelo de gestão de tecnologia empresarial socioeducacional. 2015. 119f. Dissertação (Mestrado Profissional em em Gestão e Avaliação da Educação Pública) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2015. Disponível em: <https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/1379>. Acesso em: 22 fev. 2019.

MANACORDA, Mario A. Marx e a pedagogia moderna. Campinas: Alínea, 2007.

______. O princípio educativo em Gramsci: americanismo e Conformismo. São Paulo: Alínea, 2008.

MELO, Maria Alves de. A proposta pedagógica das escolas estaduais de educação profissional do estado do Ceará. 2014. 126f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública) - Faculdade de Educação. Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2014. Disponível em: <http://www.mestrado.caedufjf.net/a-proposta-pedagogica-das-escolasestaduais-de-educacao-profissional-do-estado-do-ceara/>. Acesso em: 22 jun. 2018.

MÉSZÁROS, István. A Educação para Além do Capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

MONTEIRO, Raquel Araújo. Escolas estaduais de educação profissional do Ceará e a tecnologia empresarial socioeducacional: a transposição da lógica empresarial para a escola pública. 2015. 176f. Dissertação (Mestrado em Educação Brasileira) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/13039>. Acesso em: 21 fev. 2019.

MOREIRA, Damares de Oliveira. Pedagogia das competências e escolas estaduais de educação profissional do Ceará: formando para o mercado. 124f. 2017. Dissertação (Mestrado em Educação Brasileira) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/24659>. Acesso em: 21 fev. 2019.

MOURA, Dante Henrique. Educação Básica e Educação Profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. HOLOS, v. 2, n.6, p. 4-30, mar. 2007. Disponível em: <http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/11>. Acesso em: 16 ago.2018.

_______. Ensino médio integrado: subsunção aos interesses do capital ou travessia para a formação humana integral? Educação e Pesquisa, v.6, n.39, p. 22-27, jul. 2013. Disponível em:<http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=29827632012>. Acesso em: 16 jan.2019.

______; LIMA FILHO, Domingos Leite; SILVA, Mônica Ribeiro. Politecnia e formação integrada: confrontos conceituais, projetos políticos e contradições históricas da educação brasileira. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro, v. 20,n. 63,p. 1057-1080, dez. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782015000401057&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 12 jun. 2019.

______.Educação profissional: desafios teórico-metodológicos e políticas públicas. Natal: IFRN, 2016.

NASCIMENTO. Ana Carolina Veras do. Ensino médio integrado à educação profissional (2008-20014): crítica à concepção empresarial em escolas de Educação profissional Cearense. 2016. 156f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Educação. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2016.

______. MOURA, Dante Henrique. DAMASCENA, Edilza Alves. Ideologia Empresarial nas Escolas Estaduais Educação Profissional cearenses. In: Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed.IFB, 2017.

NASCIMENTO, Maria Isabel Moura. SBARDELOTTO, Denise Kloeckner. A escola unitária: Educação e trabalho em Gramsci. Revista HISTEDBR, Campinas, v.21, n.30, p.275-291, jun.2008. Disponível em: <http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/30/art17_30.pdf>. Disponível em: 17 jan. 2018.

PEREIRA, I.B.; RAMOS, M.N. Educação profissional em saúde. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2006. Disponível em: <http://books.scielo.org>. Acesso em: 10 jun. 2018.

PORTO, Walter Costa. 1937. 3. ed. Brasília: Senado Federal, 2012. Disponível em: <http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/137571/Constituicoes_Brasileiras_v4_1937.pdf>. Acesso em: 23 maio 2019.

RAMOS, M. N.; CIAVATTA, Maria. Ensino Médio e Educação Profissional no Brasil: dualidade e fragmentação. Retratos da Escola, v. 5, n.4, p. 27-41, 2011. Disponível em:<http://retratosdaescola.emnuvens.com.br/rde/article/view/45/42>. Acesso em: 20 jan.2019.

¬¬¬______.Educação tecnológica como política de estado. In: Jovens, ensino médio e educação profissional: políticas públicas em Debate. Campinas: Papirus, 2012.

______.Ensino Médio Integrado: lutas históricas em tempos de regressão. In: Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. Brasília: Ed. IFB, 2017.

SANTOS, Deribaldo; MENDES, José Ernandi; MENDES SEGUNDO, Maria das Dores. Educação profissional: crítica à implantação do projeto ensino médio integrado do Ceará. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v.25, n.3, p. 189-205, set-dez.2016. Disponível em: <https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/issue/view/447>. Acesso em: 16 mar. 2019.

______. Educação e precarização profissionalizante: crítica à integração da escola com o mercado. São Paulo: Instituto Lukács, 2017.

SILVA, Mônica Ribeiro da; PELISSARI, Lucas Barbosa ; STEIMBACH, Allan Andrei. Juventude, escola e trabalho: permanência e abandono na educação profissional técnica de nível médio. Educ. Pesqui., v.39, n.2, p.403-417, nov. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-97022013000200008&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 27 dez.2017.

SILVA, Roselani Sodré da; SILVA, Vini Rabassa da. Política Nacional de Juventude: trajetória e desafios. Cad. CRH, Salvador, v. 24, n. 63, p. 663-678, dez. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-49792011000300013&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 23 ago. 2018.

SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo - 1964-1985. 4. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991

SPOSITO, Marília Pontes; CARRANO, Paulo César Rodrigues. Juventude e políticas públicas no Brasil. Rev. Bras. Educ., v.12, n.24, p.16-39, 2003. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n24/n24a03>. Acesso em: 30 jan.2018.

______. Estudos sobre juventude em educação. Revista Brasileira de Educação, v.6, n.5, p.34-42, dez. 1997. Disponível em: <https://www.feis.unesp.br/Home/DSAA/DSAA/ProjetoGQTSCM/documentos/educacao/educa%e7%e3o%20e%20juventudeMARILIA_ PONTES_SPOSITO.pdf>. Acesso em: 23 jan.2019.

STOKI. Patricia. GELBCKE, Vanessa Raianna. Juventudes e escola: os distanciamentos e as aproximações entre os jovens e o Ensino Médio. In: SILVA, Monica Ribeiro da; OLIVEIRA, Rosangela Gonçalves. Juventude e ensino médio: sentidos e significados da experiência escolar. Curitiba: EdUFPR, 2016.

STRYHALSKI, Patrícia Murata. GESSER, Verônica. FISCHER, Gabriela Maia. Trabalho e empregabilidade na Educação profissional: reflexões a partir do materialismo Histórico. Atos de Pesquisa em Educação, Blumenau, v. 11, n.1, p. 23-40, jan./abr. 2016. Disponível em: <http://proxy.furb.br/ojs/index.php/atosdepesquisa/article/view/4362>. Acesso em: 20 jun.2019.

TONET, Ivo. Educação contra o capital. 2. ed. São Paulo: Instituto Lukács, 2012.

URBANA, Legião. Tempo Perdido. Álbum: Dois. Abril coleções, 1986.

WELLER, Wiviam. Jovens no Ensino Médio: Projetos de vida e perspectivas de futuro. In: DAYRELL, Juarez; CARRANO, Paulo; MAIA, Carla Linhares. Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo. Belo Horizonte: EdUFMG, 2014.

VIEIRA, Sofia Lecher. VIDAL, Eloísa Maia. Organização e políticas de ensino médio no Ceará. In: Políticas de ensino médio no Ceará: escola, juventude e território. Fortaleza: EdCEnPEC, 2016.

______ VIEIRA, Sofia Lecher. VIDAL, Eloísa Maia. Ensino médio no Ceará: igualdade versus qualidade na implementação do direito à educação. Cadernos Cenpec, São Paulo, v.6, n.2, p.106-130, jul./dez. 2016. Disponível em: <http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/issue/view/21. Visualizado em: 18/08/2108.

ZIBAS, Dagmar M. L. A reforma do ensino médio no Ceará e suas contradições. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 35, n. 124, p. 171-199, Apr. 2005. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742005000100010&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 14 set. 2018.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Simplício, J. G. N. ., & Ramos, J. F. P. . (2020). As Juventudes e a Educação Profissional no Ceará:: um estudo de caso na EEEP Presidente Roosevelt. Inovação &Amp; Tecnologia Social, 2(6), 53–73. https://doi.org/10.47455/2675-0090.2020.2.6.7746

Edição

Seção

Artigos