Gestão Pública, Políticas Públicas e Política Educacional:

recortes sobre o trabalho feminino no universo público

Autores

  • Raquel Lopes Correia Santos Mestra em Planejamento em Políticas Publicas pela Universidade Estadual do Ceará - UECE
  • Maria do Socorro Ferrreira Osterne Doutora em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE e Professora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas UECE

DOI:

https://doi.org/10.47455/2675-0090.2020.2.6.7745

Palavras-chave:

gestão pública, política pública, mulheres

Resumo

Este artigo tem como objetivo maior debater acerca das categorias gestão pública e políticas públicas. Para além disso, focamos sobre a inserção feminina na política pública de educação. Especialmente na esfera da gestão. E, como objetivos específicos: possibilitar voz a mulheres gestoras de modo a ensejar reflexões sobre a inserção feminina em espaços educacionais, além de pôr em debate as diversas compreensões de política pública e sua intercessão com a educação. Para levar a cabo tal expediente, quando a natureza lançamos mão da pesquisa qualitativa e, quanto ao tipo as pesquisas documental, bibliográfica e de campo. No tocante ao instrumento trabalhamos com a entrevista semiestruturada. Os principais resultados deste estudo, fazem referência à distinção no tratamento entre mulheres e homens no interior da gestão educacional, além da luta cotidiana por parte destas mulheres por espaço e autoafirmação.

Referências

ALBI, E; Gonzáles, P; López, C. G, Gestión Pública. Barcelona: Editorial Ariel, 1997.

BAUMAN, Zygmunt. Amor Líquido: sobre a fragilidade das relações humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

BOURDIEU, Pierre.. Escritos em Educação. In: NOGUEIRA, M.A. & CATANI, A. (orgs.). Escritos da Educação. Petrópolis: Vozes: 71-79,1998.

____________. Razões práticas: Sobre a teoria da ação / Pierre Bourdieu: Tradução: Mariza Corrêa – Campinas, SP: Papirus, 1996.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm acesso em 27 de Abril de 2018.

__________. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Organização de Alexandre de Moraes. 16.ed. São Paulo: Atlas, 2000.

______________,. Fundo de Desenvolvimento e Manutenção do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério – Fundef, Lei n. 9424/1996 de 14 de dezembro de 1996

____________, Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996.

____________. Plano Nacional de Educação para o período 2001-2010. Lei no 10.172, de 10 de janeiro de 2001. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2001. Disponível em:. Acesso em: 17 de julho de 2018.

CARDIM, Pedro. Centralização política e Estado na recente historiografia sobre o Portugal do Antigo Regime. Nação e Defesa, v. 87, 1998, p. 129-158.

DENHARDT, R. B. Teorias da Administração Pública. São Paulo: Cengage Learning, 2012. Tradução: Francisco G. Heidmann.

DIEESE – Anuário das mulheres brasileiras. / DIEESE – São Paulo: DIEESE, 2011.

DYE, Thomas R. Mapeamento dos modelos de análise de políticas públicas. In: HEIDEMANN, Francisco G.; SALM, José Francisco. Políticas públicas e desenvolvimento: bases epistemológicas e modelos de análise. Brasília: UnB, 2009.

FALEIROS, Vicente de Paula. A política social do Estado capitalista: as funções da previdência e assistência sociais. São Paulo: Cortez, 1980.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

HÖFLING, Eloisa de Mattos. Estado e Políticas (Públicas) Sociais. Cadernos Cedes, ano XXI, nº 55, novembro/2001 (p.30- 41). Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v21n55/5539. Acesso em 08 de Outubro de 2017 as 10:32.

JALES, Paula Raquel da Silva. Uma mulher na gestão pública: Aldaci Nogueira Barbosa / Paula Raquel da Silva Jales. – Fortaleza: EdUECE; EDMETA, 2012.

LIMA, Paulo Daniel Barreto. Excelência em Gestão Pública. Recife: Fórum Nacional de Qualidade, 2006.

MACHADO NETO, Afonso C. (Coord.). (2000). Sociedade e história do Brasil. Os primeiros tempos da República – 2. Brasília: Instituto Teotônio Vilela, V. 6. p. 47.

MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. São Paulo: Cortez, 2001.

MOTTA, P. R. M. O estado da arte da Gestão Pública. Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 1, p. 82-90, 2013.

OSTERNE, Maria do Socorro Ferreira. Violência nas relações de gênero e cidadania feminina / maria do Socorro Ferreira Osterne – Fortaleza: EdUeece, 2007.

PEDROZA, Sâmia. A evolução da educação: necessidade de uma nova gestão escolar. Rio de Janeiro: Universidade Estácio de Sá, 2011

PORTELA, Paulo Henrique Gonçalves. Direito internacional público e privado. Bahia: Editora JusPodivm, 2015.

SAVIANI, Demerval. A Supervisão Educacional em Perspectiva Histórica: da função à profissão da idéia. In__: FERREIRA, Naura Syria Carapeto (org.). Supervisão Educacional para uma Escola de Qualidade: formação à ação. São Paulo: Cortez, 2002.

SCOTT, Joan W. A cidadã paradoxal: as feministas francesas e os direitos do homem. Trad. Élvio A. Funck. Apres. Miriam P. Grossi. 2002.

SECCHI, L. Políticas Públicas: Conceitos, esquemas, casos práticos. 2 ed. São Paulo: Cengage Learning. 2013.

SOUZA, Celina. Estado da arte da pesquisa em políticas públicas. In: HOCHMAN, G.; ARRETCHE M.; MARQUES, E. (Orgs.). Políticas públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, p. 65-86, 2007.

________ .Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, n. 16, jul/dez 2006, p. 20-45.

WEBER, Max, A Ética protestante e o Espírito do Capitalismo. 4 ed. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1985)

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Santos, R. L. C., & Osterne, M. do S. F. . (2020). Gestão Pública, Políticas Públicas e Política Educacional: : recortes sobre o trabalho feminino no universo público. Inovação &Amp; Tecnologia Social, 2(6), 39–52. https://doi.org/10.47455/2675-0090.2020.2.6.7745

Edição

Seção

Artigos