O Fenômeno da Antropização Urbana na Ressaca do Bairro dos Remédios em Santana/AP:

desafios para elaboração de políticas públicas de gestão ambiental

  • Aroldo de Melo Vasconcelos
  • Alexandre Gomes Galindo
Palavras-chave: políticas públicas, gestão ambiental, antropização urbana, ressacas

Resumo

O presente estudo tem como objeto o processo da antropização urbana na área de ressaca do bairro dos Remédios na cidade de Santana, Estado do Amapá. Objetivo geral: investigar o fenômeno da antropização na área de ressaca no bairro dos Remédios e seus desafios para elaboração de políticas públicas de gestão ambiental. Objetivos específicos: investigar como as áreas de ressacas da Cidade Santana são tratadas enquanto temática da política da gestão ambiental; diagnosticar a realidade ambiental da ressaca do bairro dos remédios para identificar os impactos ambientais; identificar as políticas públicas voltadas à população investigada e ações desenvolvidas em curto, médio e longo prazo; e, identificar elementos que subsidiem a instrumentação de políticas para as áreas de proteção ambiental (APPs) na cidade de Santana-AP. Aproximamo-nos do estudo sobre a antropização urbana como um fenômeno social e ambiental e buscar explicações das implicações do processo tanto pelo “olhar” dos moradores como pelo “discurso” dos gestores. Percorremos um caminho metodológico, segundo o pensamento dialético, de maneira qualitativa, sendo técnicas de coleta de dados entrevistas semi-estruturadas, questionários com questões fechadas e abertas, observação sistemática e análise documental. Para análise dos dados nos aproximamos do método hermenêutico dialético. Três focos direcionaram a análise dos grupos participantes moradores para o diagnóstico do objeto de estudo: Meio Natural, Meio Biológico e Meio Social. Para análise do foco políticas públicas de gestão ambiental foi definido o grupo gestores, sendo subdivididos três subgrupos: prefeitos; ex-secretários; e, secretários municipais. Da análise dos dados da pesquisa foi construído o Capitulo 4 - Resultados, subdividido em: 4.1 “A vida daqui é assim devagar”: a antropização urbana em áreas de ressacas: a realidade da ocupação no bairro dos Remédios em Santana/AP. 4.2“Nós não tem que fazer planos, e assim vão passando os anos”. A gestão urbana de política ambiental do município de Santana; e, 4.3 Do fazejamento ao planejamento. Os resultados sinalizam que a antropização nas áreas de ressacas na cidade de Santana faz parte de um processo histórico que teve início na década de 1980 e até hoje a gestão municipal não tem conseguido enfrentar como deveria. Falta planejamento e elaboração de políticas públicas na gestão e articulação com toda a rede institucional de proteção ao meio ambiente, por isso e outros fatores, não consegue aparelhar os órgãos de controle ambiental que desempenham função ineficiente tanto na educação ambiental, como na fiscalização e no monitoramento.

Publicado
2019-09-02
Seção
Artigos