A conquista da palavra como forma de resistência na Diocese de Crateús

Autores

Palavras-chave:

Diocese de Crateús, Conquista da palavra, Resistência

Resumo

Inaugurada em 8 de agosto de 1964, tendo como primeiro bispo Dom Antônio Batista Fragoso (1964-1998), a Diocese de Crateús surge como espaço de fertilização de uma teologia popular, trazendo uma proposta alicerçada no processo de libertação dos sujeitos campesinos. Sustentada a partir das bases, pelo protagonismo dos camponeses, a pastoral desenvolve uma série de trabalhos de incentivo à escrita e leitura, na perspectiva popular e radical, tendo como foco de reflexão a vida desses sujeitos e seu espaço de atuação social. Esse artigo propõe pensar como a conquista da palavra influenciou a formação de resistências, lideradas por homens e mulheres do campo dos sertões de Crateús e Inhamuns. As cartas remetidas ao jornal “O Roceiro”, veículo criado pela equipe diocesana de Crateús, tendo seu início no ano de 1984, e as Cartas Abertas que circulavam entre paróquias e comunidades, demonstram como a conquista da palavra servia como forma de articulação das resistências.

Referências

BETTO, Frei. O QUE É COMUNIDADE ECLESIAL DE BASE. 6° ed. Brasiliense, São Paulo, 1986.

BEOZZO, José Oscar. Pacto das catacumbas: por uma igreja servidora e pobre. – São Paulo: Paulinas, 2015.

CALADO, Alder Júlio Ferreira eti alli. Igreja de Crateús (1964 – 1998) – uma experiência popula e libertadora. São Paulo, Loyola, 2005.

CÂMARA, Dom Helder. A Pressão Moral Libertadora. In: Firmeza Permanente: A Força da não-violência. São Paulo: Edições Loyola/Vega, 1977.

CERQUEIRA, Paulo C. L. “A Seca no Contexto Social do Nordeste”. In CPT/CEPAC/IBASE. O Genocídio do Nordeste (1979-1983). São Paulo: Mandacaru, 1989, p. 36.

DAVIS, Natalie Zemon. Culturas do povo: Sociedade e cultura no início da França Moderna. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1990.

Dom Fragoso & Padre Alfredinho : entre nós / Orgs. Adelaide Gonçalves, Lucas Assis, Monyse Ravena, Romário Bastos, Salete Vale. – Fortaleza: Plebeu Gabinete de Leitura, 2020.

FRAGOSO, Antônio Batista. O Rosto de uma Igreja. São Paulo: Edições Loyola, São Paulo, 1982.

FRAGOSO, Antônio Batista. Intinerário dos passos dados. In: Igreja de Crateús (1964 – 1998) – uma experiência popula e libertadora. São Paulo, Loyola, 2005.

MAINWARING, Scott. A Igreja Católica e a Política no Brasil (1916 - 1985). Tradução Heloisa Braz de Oliveira Prieto. São Paulo: Editora Brasiliense, 1989.

LOWY, Michel. O que é Cristianismo da Libertação: religião e política na América Latina. – 2 ed – São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo: Expressão Popular, 2016.

OLIVEIRA, Francisco. Elegia para uma re(li)gião. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

PORTO, Márcio de Souza. Dom Delgado na Igreja de seu Tempo (1963-1969). Fortaleza: UFC, 2007.

SCOTT, James. Formas Cotidianas da Resistência Camponesa. Revista Raízes, Vol. 21, nº 01, p.10-31, 2002.

THOMPSON, E. P. Costumes em comum. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

Downloads

Publicado

2023-12-08

Como Citar

MENDES, S. A conquista da palavra como forma de resistência na Diocese de Crateús. CENTÚRIAS - Revista Eletrônica de História, Limoeiro do Norte, v. 1, n. 3, p. 182–198, 2023. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/centurias/article/view/11143. Acesso em: 13 jul. 2024.