As Novas Práticas de Letramento Desencadeadas pelo Enem e Pelos Documentos Oficiais de Educação em Língua Materna

  • Hylo Leal Pereira
  • Filipe Fontenele Oliveira
Palavras-chave: Enem, Ensino de leitura e escrita, Letramento, PCN

Resumo

Uma das preocupações nos estudos de letramento é compreender o papel social da escola quanto ao ensino de leitura e escrita. Apesar de o Brasil ainda encontrar-se em patamares preocupantes no desenvolvimento dessas habilidades, é perceptível a sensibilização nos documentos oficiais para que os docentes revejam suas práticas de ensino. Compreendemos também que o advento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em consonância ao que apregoam esses documentos, influencia na adoção de propostas de ensino de leitura e escrita mais adequadas à linguagem como instrumento de práticas sociais e vinculadas ao desenvolvimento das habilidades e competências. Partindo da concepção de letramento crítico de Street (2014), da reflexão de Jurado e Rojo (2007) e de Marcuschi (2006) sobre a prática do ensino de língua que tem por base os documentos oficiais, este estudo pretende discutir sobre as mudanças nas estratégias de letramento que passaram a existir a partir da realização e popularização do Enem. Abordaremos também os conceitos de avaliação interna e externa e apresentaremos a relação entre o Enem e as políticas atuais de educação. Para tanto, valemo-nos de uma investigação teórico-bibliográfica pautada nos documentos oficiais, bem como em múltiplas referências e nas práticas de ensino vivenciadas em nossas escolas. Dentre nossas conclusões, enfatizamos a identificação de uma forte influência exercida pelo Enem sobre os sistemas de ensino e, consequentemente, sobre a prática docente. Acreditamos que este trabalho pode gerar reflexões quanto ao ensino de língua portuguesa no que condiz às implicações pedagógicas provocadas por esse exame.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOSA, Jane Rangel Alves. A Avaliação da Aprendizagem como Processo Interativo: Um Desafio para o Educador. Democratizar. Rio de Janeiro, RJ. v. II, n.1, jan ./ abr . 2008.

BECKER, Fernanda da Rosa. Avaliação educacional em larga escala: a experiência brasileira. Revista iberoamericana de educação. n.º 53, p. 1-11, 2010.

BONAMINO, Alicia; COSCARELLI, Carla; FRANCO, Creso. Avaliação e letramento: concepções de aluno letrado subjacentes ao SAEB e ao PISA. Educ. Soc., Campinas, vol. 23, n. 81, p. 91-113, dez. 2002.

BRASIL. Parecer CNE/CEB nº 15/1998.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. PCN+ ensino médio: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Volume Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 2002.

BRASIL. PCNEM – Orientações curriculares para o ensino médio: Volume 1: Linguagem, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 2006.

CAED - Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Guia de elaboração de itens - Língua Portuguesa. 2008. Disponível em: <http://www.portalavaliacao.caedufjf.net/wp-content/uploads/2012/02/Guia_De_-Elabora%C3%A7%C3%A3o_De_Itens_LP.pdf>. Acesso em 20 jul. 2018.

CARMO, Erinaldo; CHAGAS, José; FIGUEIREDO FILHO, Dalson; ROCHA, Enivaldo. Políticas públicas de democratização do acesso ao ensino superior e estrutura básica de formação no ensino médio regular artigo Políticas Públicas ENEM. Estudos RBEP. Brasília, v. 95, n. 240, p. 304-327, maio/ago. 2014. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbeped/v95n240/04.pdf> Acesso em: 10 out. 2018.

CASSANY, Daniel; CASTELÁ, Josep M. Aproximación a la literacidad crítica. Perspectiva. Florianópolis, v. 28, n.2, p. 353-374, jul/dez. 2010.

CAVALCANTE, Mônica Magalhães. Referenciação: sobre coisas ditas e não ditas. Fortaleza: Edições UFC, 2011.

DUARTE, Antônio. Argumentação persuasiva na redação do enem e seus efeitos no ensino de produção de textos dissertativo-argumentativos. In: ARAÚJO, Adriana et al (Orgs.). Reflexões linguísticas e literárias. Fortaleza: HMB Digital, 2015. p, 29 a 42. p.43 a 58.

FERNANDES, Reynaldo; GREMAUD, Amaury. Avaliação de qualidade na educação no Brasil. Fundação Santilana / INEP, São Paulo: Editora Moderna, 2009.

FRANCO, Creso; BONAMINO, Alícia. O ENEM no Contexto das Políticas para o Ensino Médio. Química Nova na Escola, (online) São Paulo, nº 10, novembro, 1999. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc10/espaco.pdf. Acesso em: 01 jul. 2018.

JURADO, Shirley; ROJO, Roxane. A leitura no ensino médio: o que dizem os documentos oficiais e o que se faz? In: BUZEN, Clecio; MENDONÇA, Márcia (orgs). Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 37-55.

KLEIMAN, Ângela B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, Ângela B (org). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas, SP: Mercado de letras, 2008 - 10ª reimpressão, p.15-92.

KOCH, Ingedore G. V. Parâmetros curriculares nacionais, linguística textual e ensino de línguas. Revista do GELNE, v. 4, n.1 – 2002. Disponível em: < http://media.wix.com/ugd/eceaaa_07ee728b3e0d47fe8a01a4eff9d54533.pdf>. Acesso em: 01 ago. 2015.

MARCUSCHI, Beth. O que nos dizem o Saeb e o Enem sobre o currículo de língua portuguesa para o ensino médio. In BUZEN, Clecio; MENDONÇA, Márcia (orgs). Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 57-82.

MARTINS, Vicente. Redações do enem 2014: cinco possíveis causas do baixo desempenho dos participantes. In: ARAÚJO, Adriana et al (orgs.). Reflexões linguísticas e literárias. Fortaleza: HMB Digital, 2015. p, 29 a 42. p.17 a 28.

MEC/INEP. Edital nº6, de 15 de maio de 2015. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Nº 92, segunda-feira, 18 de maio de 2015. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/edital/2015/edital_enem_2015.pdf. Acesso: 10 out. 2018.

MENDONÇA, Márcia. Análise linguística no ensino médio: um novo olhar, um outro objeto. In: BUZEN, Clecio; MENDONÇA, Márcia (orgs). Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 199-226.

NUHS, Aline Cristiane; TOMIO, Daniela. A prova escrita como instrumento de avaliação da aprendizagem do aluno de Ciências. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 22, n. 49, p. 259-284, maio/ago. 2011.

PERRENOUD, Philippe; THURLER, Monica; MACEDO, Lino; MACHADO, Nilson; ALLESANDRINI, Cristina. As competências para ensinar no século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. São Paulo: Artmed, 2002.

SOUSA, Ana Lúcia Silva; VÓVIO, Cláudia Lemos. Desafios metodológicos em pesquisas sobre letramento. In: KLEIMAN, Ângela B; MATENCIO, Maria de Lourdes M (orgs). Letramento e formação do professor: práticas discursivas, representações e construção do saber. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2005, p.41-64.

SOUSA, Sandra M. Z. L. Avaliação da aprendizagem na legislação nacional: dos anos 1930 aos dias atuais. 2009. Disponível em: <http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1536/1536.pdf>. Acesso em: 25 jul. 2018.

SOUSA, Socorro; SILVA, Gabriela. A redação do Enem e seus efeitos nas políticas linguísticas em instituições educacionais. In: ARAÚJO, Adriana et al (Orgs.). Reflexões linguísticas e literárias. Fortaleza: HMB Digital, 2015. p, 29 a 42.

STREET, Brian. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Tradução: Marcos Bagno. 1ª. ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2014.

Publicado
2019-12-20
Como Citar
PEREIRA, H. L.; OLIVEIRA, F. F. As Novas Práticas de Letramento Desencadeadas pelo Enem e Pelos Documentos Oficiais de Educação em Língua Materna. Revista Linguagem em Foco, v. 11, n. 1, p. 11-25, 20 dez. 2019.
Seção
Artigos