ESTAÇÃO DO ANO AO PARTO E O DESEMPENHO REPRODUTIVO DE VACAS LEITEIRAS MESTIÇAS

Autores

  • Flávia Freire FRANCO Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Carla Cristian CAMPOS Centro Universitário UMA de Uberlândia
  • Ricarda Maria dos SANTOS Faculdade de Medicina Veterinária (UFU)

Palavras-chave:

Concepção, Estresse térmico, Vacas leiteiras

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar os efeitos da estação do ano ao parto sobre a taxa de concepção à primeira inseminação pós-parto e o intervalo parto-concepção de vacas leiteiras mestiças. O estudo foi conduzido em sete fazendas localizadas em Ituiutaba/MG. O manejo reprodutivo foi realizado a cada 30 dias para avaliação ginecológica e diagnóstico de gestação. Na primeira cobertura pós-parto, as vacas detectadas em estro eram submetidas à inseminação artificial (IA) 12 horas após a detecção ou colocadas com touro (monta controlada – MC). As vacas não detectadas em estro até os 60 dias pós-parto eram submetidas à inseminação em tempo fixo (IATF). Os serviços subsequentes seguiam os critérios de cada fazenda. Foram avaliados 841 partos de 581 vacas ocorridos de janeiro de 2011 a junho de 2014. Os dados foram analisados pelo PROC GLIMMIX do SAS (p<0,05), sendo incluídos no modelo a fazenda, a estação do ano ao parto, o tipo da primeira inseminação pós-parto e possíveis interações. As vacas que receberam MC apresentaram taxa de concepção à primeira IA pós-parto maior do que as vacas submetidas à IA convencional e à IATF (p<0,001). Não foi detectada interação entre o tipo de serviço e a estação do ano ao parto (p=0,2989) na taxa de concepção. A estação do ano ao parto não interferiu na taxa de concepção à primeira IA pós-parto de vacas leiteiras mestiças (p=0,36). No entanto, vacas que pariram na primavera-verão tiveram esse intervalo maior em relação às que pariram no outono-inverno (p=0,0044). Desta forma, concluiu-se que vacas leiteiras mestiças cujos partos ocorrem nas estações mais quentes e úmidas do ano apresentam um comprometimento da eficiência reprodutiva subsequente.

Referências

AYRES, G.F.; BORTOLLETO, N.; MELO JÚNIOR, M.; HOOPER, H.B.; NASCIMENTO, M.R.B.M.; SANTOS, R.M. Efeito da estação do ano sobre a taxa de concepção e perda gestacional em vacas leiteiras mestiças. Bioscience Journal, v.30, supp.2, p.866-872, 2014.

BONATO, G.L.; SANTOS, R.M. Efeito da duração do intervalo de partos e estação do ano ao parto sobre a eficiência reprodutiva subsequente de vacas leiteiras mestiças. Acta Scientiae Veterinariae, v.40, n.1, p.1-4, 2012.

CAMPOS, C.C.; SANTOS, R.M. Conception rate and estrous return detection after TAI in Holstein cows. Semina: Ciências Agrárias, v.36, n.3, p.1945-1954, 2015.

CAMPOS, C.C.; PRADO, F.L.; REIS, J.P.J.; CARNEIRO, L.C.; SILVA, P.R.B.; MORAES, G.F.; SANTOS, R.M. Effects of clinical mastitis and puerperal diseases on reproductive efficiency of dairy cows. Tropical Animal Health and Production, v.52, n.6, p.3061-3068, 2020.

COLAZO, M.G.; BÓ, G.A.; ILLUMINANTI, H.; MEGLIA, G.; SCHMIDT, E.E.; BARTOLOMÉ, J. Fixed-time artificial insemination in beef cattle using CIDR-B devices, progesterone and estradiol benzoate. Theriogenology, v.51, p.404, abstract, 1999.

DE LA SOTA, R.L.; BURKE, J.M.; RISCO, C.A.; MOREIRA, F.; DELORENZO, M.A.; THATCHER, W.W. Evaluation of timed insemination during summer heat stressin lactating dairy cattle. Theriogenology, v.49, n.4, p.761-770, 1998.

DE RENZIS, F.; SCARAMUZZI, R.J. Heat stress and seasonal effects on reproduction in the dairy cow: a review. Theriogenology, v.60, n.6, p.1139-1151, 2003.

DE VRIES, A.; STEENHOLDT, C.; RISCO C.A. Pregnancy Rates and milk production in natural service and artificially inseminated dairy herds in Florida and Georgia. Journal of Dairy Science, v.88, n.3, p.948–956, 2005.

DUBUC, J.; DUFFIELD, T.F.; LESLIE, K.E.; WALTON, J.S.; LEBLANC, S.J. Risk factors for postpartum uterine diseases in dairy cows. Journal of Dairy Science, v.93, n.12, p.5764-5771, 2010.

HANSEN, P.J. Effects of environment on bovine reproduction. In: Youngquist, R.S. (Ed.), Current Therapy in Large Animal Theriogenology. 1a ed., Saunders, W.B. Philadelphia, p.403-415, 1997.

HANSEN, P.J.; ARÉCHIGA, C.F. Strategies for managing reproduction in the heat-stressed dairy cow. Journal of Animal Science, v.77, supp.2, p.36-50, 1999.

HANSEN, P.J.; DROST, M.; RIVERA, M.R.; PAULA-LOPES, F.F.; AL-KATANANI, M.Y.; KRININGER, E.C.; CHASE, C.C. Adverse impact of heat stress on embryo production: causes and strategies for mitigation. Theriogenology, v.55, n.1, p.91-103, 2001.

HANSEN, P.J. Managing the heat-stressed cow to improve reproduction. In: Western Dairy Management Conference, 7ª ed., Reno, NV. Proceedings... p.63-76, 2005.

INMET, Instituto Nacional de Meteorologia. Disponível em: <http://www.inmet.gov.br/ portal/index.php?r=bdmep/bdmep>. Acesso em: 16 dez 2014.

KASIMANICKAM, R.; CORNWELL, J.M.; NEBEL, R.L. Fertility following fixed-time AI or insemination at observed estrus in Ovsynch and Heatsynch programs in lactating dairy cows. Theriogenology, v.63, n.9, p.2550-2559, 2005.

LIMA, F.S.; RISCO, C.A.; THATCHER, M.J.; BENZAQUEN, M.E.; ARCHBALD, L.F.; SANTOS, J.E.P.; THATCHER, W.W. Comparison of reproductive performance in lactating dairy cows bred by natural service or timed artificial insemination. Journal of Dairy Science, v.92, n.11, p.5456-5466, 2009.

LOPEZ-GATIUS, F.; LOPEZ BEJAR, M.; FENECH, M.; HUNTER, R.H.F. Ovulation failure and double ovulation in dairy cattle: risks factors and effects. Theriogenology, v.63, n.5, p.1298-1307, 2005.

NASCIMENTO, C.C.N.; NASCIMENTO, M.R.B.M.; DA SILVA, N.A.M. Ondas de calor no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba e seu efeito na produção leiteira e consumo alimentar em bovinos. Bioscience Journal, v.30, n.5, p.1488-1495, 2014.

NRC. National Research Council. Nutrient requirements of dairy cattle. 7ª ed., Washington, D.C.: National Academic Press, 2001. 381p.

PEREIRA, J.C.C. Fundamentos de bioclimatologia aplicados à produção animal. 1a ed., Belo Horizonte: MG, Editora FEPMVZ, 2005. 195p.

PICCARDI, M.; CAPITAINE FUNES, A., BALZARINI, M.; BÓ, G.A. Some factors affecting the number of days open in Argentinean dairy herds. Theriogenology, v.79, n.5, p.760-765, 2013.

ROCHA, D.R.; SALLES, M.G.F.; MOURA, A.A.A.N.; ARAÚJO, A.A. Impacto do estresse térmico na reprodução da fêmea bovina. Revista Brasileira de Reprodução Animal, v.36, n.1, p.18-24, 2012.

ROCHE, J.F. The effect of nutritional management of the dairy cow on reproductive efficiency. Animal Reproduction Science, v.96, n.3/4, p.282-296, 2006.

SANTOS, J.E.P.; RUTIGLIANO, H.M.; SÁ FILHO, M.F. Risk factors for resumption of postpartum estrous cycles and embryonic survival in lactating dairy cows. Animal Reproduction Science, v.110, n.3/4, p.207-221, 2009.

THATCHER, W.W.; FLAMENBAUM, I.; BLOCK, J.; BILBY, T.R. Manejo de estresse calórico e estratégias para melhorar o desempenho lactacional e reprodutivo em vacas de leite. In: XIV Curso Novos Enfoques na Produção e Reprodução de Bovinos, Uberlândia. Anais.... p.2-25, 2010.

ZERON, Y.; OCHERETNY, A.; KEDAR, O.; BOROCHOV, A.; SKLAN, D.; ARAV, A. Seasonal changes in bovine fertility: relation to developmental competence of oocytes, membrane properties and fatty acid composition of follicles. Reproduction, v.121, n.3, p.447-454, 2001.

Downloads

Publicado

2022-11-17

Como Citar

FRANCO, F. F.; CAMPOS, C. C. .; SANTOS, R. M. dos . ESTAÇÃO DO ANO AO PARTO E O DESEMPENHO REPRODUTIVO DE VACAS LEITEIRAS MESTIÇAS. Ciência Animal, [S. l.], v. 32, n. 1, p. 09–17, 2022. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/cienciaanimal/article/view/9437. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais